Câmara aprova lei Henry Borel, que considera crime hediondo o homicídio de crianças

Foto: Reprodução

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de terça-feira (3), a Lei Henry Borel, batizada em homenagem ao menino de quatro anos assassinado no Rio de Janeiro, após ser espancado em casa, em março do ano passado. O projeto endurece penas para crimes cometidos contra crianças e adolescentes no ambiente doméstico.

O PL também passa a considerar crime hediondo o assassinato de crianças e adolescentes menores de 14 anos. Para ser aprovada, o projeto de lei segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Além disso, o texto estabelece o dia 3 de maio – data do aniversário de Henry Borel – como o Dia Nacional de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Criança e o Adolescente. (Bahia.Ba)

Veja mais notícias no vozdabahia.com.br e siga o site no Google Notícias