CPI da Covid-19 cancela depoimentos e adia leitura de relatório final

Foto: Edilson Rodrigues / Agência Senado

A CPI da Covid-19 anunciou neste domingo (17) que adiou a entrega do relatório final que esteva previsto para a próxima terça-feira (19). Uma nova data ainda não foi definida.

Pelo novo calendário apresentado, a segunda (18) será dedicada a depoimentos com familiares de vítimas da Covid-19. Já na terça, será ouvido Elton da Silva Chaves, representante do Conasems (Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde), cujo depoimento estava previsto para o dia anterior.

“Da minha parte, acho que teremos mais tempo para discutir o parecer e melhor encaminhar um desfecho”, disse o relator Renan Calheiros (MDB-AL) para a CNN. Ele disse ter sido consultado pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (AM), sobre o adiamento e ter concordado com a decisão.

Para o canal, Calheiros ainda confirmou que haverá uma reunião com o G7 (o grupo majoritário da CPI) nesta segunda-feira à noite, quando devem ocorrer novas definições sobre a reta final da comissão.

Ainda conforme a CNN, cerca de 60 pessoas devem ter o indiciamento recomendado pelo relator. Entre eles, o atual ministro da Defesa, Walter Braga Netto, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e seus filhos Flávio (senador pelo Podemos-RJ), Eduardo (deputado federal pelo PSL-SP) e o Carlos (vereador pelo Republicanos-RJ). (BN)