Desfile da Gucci traz mensagens feministas sobre legalização do aborto

-Foto: Capricho
Foto: Capricho

A Gucci apresentou sua coleção Cruise 2020 em Roma, no Museu Capitolino, nesta terça-feira (28) e fez um desfile cheio de mensagens feministas a favor dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, além de reforçar seu apoio à igualdade de gênero. Uma das peças desenvolvidas pelo diretor criativo da grife, Alessandro Michele, tinha a frase “My body, my choice” – em português, “Meu corpo, minhas regras” – nas costas.

https://www.instagram.com/p/ByBE4mXiAtA/?utm_source=ig_embed

“My Body My Choice é um slogan feminista dos anos 70 que aparece nas costas dessa jaqueta do desfile #GucciCruise20 de Alessandro Michele. Essa peça representa a visão do diretor criativo sobre liberdade, igualdade e auto-expressão”, explicou a marca na legenda da foto. O dia em que a lei para proteção social materna e aborto legal entrou em vigor na Itália, 22.05.1978, foi estampado em moletons da coleção. Uma camiseta especial da Chime for Change, campanha da Gucci em prol da igualdade de gênero, também apareceu na passarela.

https://www.instagram.com/p/ByBCnbSiOAC/?utm_source=ig_embed

Outro detalhe que chamou bastante a nossa atenção foi um vestido que trazia desenho de um útero bordado com flores. Olha que lindo:

View this post on Instagram

#guccicruise2020 details #gucci20

A post shared by JOSÉ JM …?? (@jm_2720) on

E, sim, esse aí no canto direito da foto é o Harry Styles! Claro que ele não poderia ficar de fora do evento, já que é o rosto da nova campanha de outono da grife.

Em entrevista ao WWD, Alessandro Michele falou sobre a coleção Cruise 2020 da Gucci. Ele revelou suas inspirações para criar as peças: “Minha coleção é uma homenagem a muitas coisas e a diferentes culturas e momentos históricos. Entre outras citações, tem algumas referências aos anos 70, um momento em que os limites eram desfocados em comparação aos dias de hoje. Foi uma época histórica em que as mulheres finalmente rejeitaram todas as restrições que lhes foram impostas nos séculos anteriores e se tornaram livres.“ “É por isso que estou homenageando a lei italiana sobre aborto, a lei número 194. É inacreditável que ao redor do mundo ainda existam pessoas que acreditam que podem controlar o corpo e a escolha de uma mulher. Eu sempre vou apoiar a liberdade de ser, sempre”, completou. (Capricho)


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui