Dia Nacional do Diabetes chama atenção para cuidados e prevenção à doença

Celebrado neste domingo (26), o Dia Nacional do Diabetes reforça a importâncvia de hábitos saudáveis para evitar a doença, que acomete mais de 537 milhões de adultos com idade entre 20 e 79 anos em todo o planeta.



Segundo o Atlas do Diabetes 2021, divulgado pela Federação Internacional de Diabetes (IDF), o Brasil é o sexto país em incidência de diabetes no mundo e o primeiro na América Latina.



Cerca de 15,7 milhões de pessoas adultas vivem com esta condição no país. A estimativa é que, até 2045, a doença alcance 23,2 milhões de adultos brasileiros.



Existem quatro tipos de diabetes, explica o endocrinologista e presidente da Associação de Diabetes do ABC, Marcio Krakauer. “O do tipo 1 acontece por uma doença autoimune, em que o corpo para de produzir insulina naquele momento (ou poucas horas e dias antes), e os sintomas são excessivos, como fome, sede intensa, perda de peso, visão embaçada, infecções urinárias e genitais, dores no corpo”.



Nesse tipo, quando se repõe a insulina, o indivíduo fica bom rapidamente. O diabetes do tipo 2 é uma doença que mistura o hereditário com o ganho de peso e vai surgindo de forma muito lenta na vida. Em geral, quando se faz um diagnóstico por causa de tais sintomas, estes já existem há cerca de cinco anos ou mais, acrescenta o médico.



Segundo Krakauer, o diabetes do tipo 2 é completamente assintomático ou pouco sintomático. Há ainda o pré-diabetes, que é uma condição bem inicial, e o diabetes gestacional, aquele que aparece por causa da gravidez.



A fórmula alimentação saudável e exercícios físicos é o meio mais efetivo de prevenir a doença, orienta o especialista. “A mistura é: alimentação saudável, perda de peso para quem está acima do peso, muito exercício físico, tomar muita água, dormir direito e reduzir o estresse, quando possível.”



Krakauer enfatiza que alimentos ultraprocessados também aceleram a incidência da doença. Ficar longe do cigarro e das bebidas alcoólicas é outra maneira de diminuir o risco de ter a doença, diz o médico. As informações são da Agência Brasil. (BN)