Erros da diretoria no futebol trazem prejuízo financeiro para o Bahia

Felipe Oliveira/EC Bahia

Um relatório divulgado pelo jornalista Rodrigo Capelo, no portal ge, nesta quarta-feira (22), mostra os detalhes do prejuízo financeiro do Bahia em 2021. A principal causa são os erros cometidos pela diretoria do clube no departamento de futebol.

O Tricolor gastou R$ 117 milhões com a folha salarial do elenco. O valor não difere muito do planejado, mas não surtiu efeito.

Mesmo com gastos menores, rivais permaneceram na Série A, enquanto o Bahia foi rebaixado para a Série B. As contratações erradas prejudicaram o clube.

Em multas e juros, o clube registrou R$ 41 milhões. Mas, terminou o ano com lucro de R$ 28 milhões.

Faturamento com direitos de transmissão, incluídas as luvas do contrato com Turner, patrocínios, publicidades, licenciamentos e verba arrecadada com negociações de jogadores explicam o superávit. Porém, o rebaixamento prejudicou, e muito, o clube.

O Bahia iniciou o ano de 2022 com dívida de R$ 80 milhões, mas com uma receita aquém do que o clube precisa justamente por conta da queda à Série B.

Ainda segundo o relatório, o Bahia não foi mal gerido na área financeira, principalmente diante do endividamento de gestões passadas, mas possuía condições suficientes para obter um melhor resultado e permanecer na elite do futebol brasileiro.

Agora, os torcedores ficam na expectativa da conclusão da venda da SAF para que o futebol do clube seja melhor gerido e não prejudique suas finanças. (BNews)