Estudante de teologia testemunha transformação após anos na homossexualidade

-
O antes e o depois / Foto: Reprodução

Os testemunhos de pessoas que deixaram a homossexualidade ou o transgenerismo por conta da transformação vivida através da mensagem do Evangelho são vistos por grande parte das pessoas com incredulidade. Mas um estudante de teologia decidiu compartilhar sua história de vida apesar desses fatores.

Michael Edward Ukus publicou um relato sobre sua trajetória no site Not The Same Love, indicando que o divórcio dos pais foi o início de um período de turbulências que o fez questionar a fé. Junto a isso, sua mãe enfrentou muitas adversidades para sustentar os filhos.

“Ela trabalhou tão duro a ponto de ficar doente e até desmaiar por causa do cansaço. Isso realmente me destruiu pessoalmente e não pude continuar meus estudos por causa disso”, contou Ukus, que havia se matriculado no curso de teologia de uma faculdade em Manado, Indonésia, pouco tempo antes.

“Eu não tinha mais vontade de estudar e parei de fazer atividades cristãs no meu campus. Foi então que o Inimigo levou vantagem […] Eu estava sentado sozinho em um parque perto da minha pensão, enquanto alguns dos meus veteranos estavam no quarto de outro estudante. Eles viram que eu estava sozinho e me convidaram para me juntar a eles. Eles estavam cantando e tocando violão enquanto bebiam uma típica bebida”, relembrou, pontuando o início de seu período de dependência.

Esse episódio, porém, foi marcado por um trauma maior: “De repente, eles começaram a me despir e a me estuprar. Havia 13 deles. Gritei e fugi da sala enquanto chorava porque fiquei muito chocado com o que eles fizeram”, disse Ukus.

Esse incidente, a seu ver, se tornou um verdadeiro pesadelo, já que os estupros continuaram acontecendo no campus da universidade: “No começo eu não gostava do que eles faziam, mas depois comecei a gostar do que estávamos fazendo. Decidi então apenas a viver esse estilo de vida durante meu estudo, até ser descoberto pelo reitor e precisar sair da universidade”.

Quando se mudou para Jacarta, ele e a família passaram a enfrentar dificuldades financeiras, e essa situação tornou as coisas ainda mais complexas: “Fiz todas as escolhas erradas que me afastaram ainda mais de Deus. Só conseguia pensar em dinheiro. Eu era amigo de pessoas que não tinham propósito. Eu estava envolvido no uso de drogas e estilo de vida hedonista e com o pecado da homossexualidade”.

“Eu não me importava com mais nada. Deixei minha família e escolhi me aprofundar ainda mais neste estilo de vida perverso […] Por causa do forte impulso sexual, tive que pagar aos homens para liberar minha luxúria. Cheguei a fazer sexo com meus amigos na mesma sala com vários homens sem me envergonhar”, relatou.

No ponto de maior distanciamento de suas origens, Ukus disse que sentiu no coração uma chamada ao arrependimento: “Deus me falou inúmeras vezes para me arrepender. Parava por um tempo, mas voltava àquele mal. Eu chorava e o pecado me agarrava ainda mais. Quanto mais eu tentava, mais fundo eu caía. Até pensei que talvez nunca pudesse voltar para Deus”.

Esse estilo de vida se estendeu por sete anos, quando uma overdose o fez parar no hospital e os exames apontaram que seus pulmões estavam próximos de um colapso: “O médico disse que eu não viveria mais do que um mês, mas pela oração fui curado. Após a recuperação, caí novamente em meus velhos vícios até que Deus me repreendeu”.

A essa altura, sua mãe já havia se casado novamente, e durante uma viagem com ela e o padrasto, o processo de mudança de vida foi iniciado. Uma tempestade no mar, que durou horas e colocou à prova os nervos de todos os passageiros e tripulantes, o fez refletir sobre sua vida de uma maneira que ele ainda não tinha feito.

“A tripulação nos disse para esperar pelo sinal. Se eles dissessem para pular, nós pularíamos. Os passageiros cantavam canções de adoração sem parar. Alguns choraram e todos ficaram vigilantes. Eu estava com tanto medo, especialmente porque minha mãe estava chorando. Nessa situação, só pensei em uma coisa: meus pecados […] Era como se todos os pecados que cometi estivessem piscando na minha frente como em uma tela. Eu fiquei sem palavras. Tudo que eu sabia era que se tivesse morrido naquele dia, teria ido direto para o inferno”, disse Ukus.

Esse estalo o levou a uma oração desesperada e sincera: “Senhor, eu sei que pequei, mas não quero ver minha mãe sofrer por minha causa. Sei que ela não merece isso. Eu imploro, Senhor, se isso tiver que acontecer, mesmo se eu tiver que morrer, deixe minha mãe viver. No entanto, se eu ainda puder pedir uma coisa, e se Tu estiver disposto, eu imploro que nos salve desta provação e eu prometo a Ti que voltarei e me arrependerei e servirei a Ti toda a minha vida”.

Essa oração resultou em uma experiência sobrenatural, que o fez enxergar uma figura de branco: “Ele me olhou diretamente nos olhos. Eu sabia que todos estariam seguros pelo olhar de Seus olhos”, narrou, acrescentando que essa visão o fez lembrar de um sonho que havia tido antes: “No meu sonho, eu estava em um barco, mas o barco estava cheio de cadáveres. Eu era o único passageiro parado olhando para todos os cadáveres. Eu não entendia o que o sonho significava quando o tive, mas depois do que aconteceu no barco e como todos foram salvos, entendi que se não fosse por Deus, todos estaríamos mortos”.

Desse dia em diante, a vida de Michael Edwards Ukus foi sendo transformada: “Deus é aquele que mudou minha vida e me tornou perfeito porque sua perfeição cobre minhas fraquezas e falhas. Minha vida é apenas para Ele para sempre. Não há razão para eu não acreditar n’Ele. Ele fez muito na minha vida. Obrigado Senhor Jesus”.

https://www.facebook.com/photo?fbid=2251465148463869&set=a.1376223259321400