Estudo espanhol sugere que gatos contraem e transmitem Covid-19, mas adoecem pouco

-
Foto: Doris Metternich / Pixabay

Gatos domésticos podem contrair e transmitir a Covid-19, segundo sugere um estudo espanhol. De acordo com O Globo, cientistas analisaram um caso de um felino na Catalunha, cujo dono morreu vítima do novo coronavírus.

O animal, que se chamava Negrito e que também acabou falecendo, foi diagnosticado com o Sars-CoV-2, mas a contaminação não teria sido a causa da morte. 

Levado para um hospital veterinário, o gato apresentou inicialmente problemas respiratórios graves. Para evitar mais sofrimento ao animal, os profissionais decidiram por aplicar a eutanásia no felino. Encaminhado à necrópsia, para um estudo detalhado em busca de evidências, foi constatado, no entanto, que Negrito sofreu uma “cardiomiopatia hipertrófica”, sem relação com a Covid-19. 

A análise, que foi divulgada na revista científica americana PNAS, na última sexta-feira (18), deixa claro que ainda não há certezas sobre o papel do felino na cadeia de transmissão da doença. Ao analisar a presença do vírus no animal, inclusive, não foi encontrado o Sars-CoV-2 nos tecidos cardíaco e de outros órgãos, limitando a presença apenas no focinho e vias aéreas superiores.  

“Apesar de ser ser altamente especulativa a possibilidade de o Sars-Cov-2 agravar doenças pré-existentes em gatos e outros animais, seria importante certificar se isso pode ocorrer”, destacaram os cientistas. Negrito chegou a ser adotado por parentes do falecido dono, que também foram diagnosticados com a Covid-19. Outro ponto ainda ser analisado é se o gato foi vítima de “zoonose reversa”, quando neste caso o vírus passou do humano para o animal. (BN)