Ex-capa da Playboy é condenada a 8 anos de prisão por tráfico de drogas, no DF

A 1ª Vara de Entorpecentes do Distrito Federal condenou a modelo Flávia Bernardes Tamaio, conhecida como Pâmela Pantera, a 8 anos de prisão, em regime semiaberto, por venda de drogas e associação para o tráfico. Ex-capa da revista masculina Playboy, ela foi sentenciada por comercializar os entorpecentes ao fazer programas na capital. Cabe recurso.

Flávia foi presa em julho do ano passado, em um hotel no Espírito Santo, em uma operação da Polícia Civil do DF. À época, os investigadores afirmaram que a mulher cobrava entre R$ 500 e 1 mil por programa, regado a cocaína e haxixe.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), pelo menos entre os meses de janeiro de 2018 e agosto de 2020, Flávia e Carlos Alberto Rivetti Levy, outro sentenciado no processo, se associaram para traficar drogas.

O homem foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão, em regime fechado. O G1 tenta contato com a defesa dos condenados.

O processo diz ainda que Carlos fornecia drogas à Carla, que comercializava entre os clientes que a contratavam para os programas. Em 19 de junho de 2020, segundo o processo, a Polícia Civil apreendeu drogas, como porções de maconha e cocaína, na casa da modelo, em Águas Claras. Em um hotel que ela havia se hospedado, no Plano Piloto, mais entorpecentes foram encontrados.´(Destaques)

Foto: Reprodução/ Instagram