Governo Bolsonaro não inclui grupos de rock em edital de apoio à bandas

-
Reprodução/Pixabay

O edital divulgado pela Fundação Nacional das Artes (Funarte) na quarta-feira (22) para o Prêmio de Apoio a Bandas de Música não contempla grupos de rock. A entidade é comandada pelo maestro Dante Mantovani, que já disse que “o rock ativa a droga, que ativa o sexo, que ativa a indústria do aborto”.

Segundo o blog BR Político, do Estado de S.Paulo, a Funarte se defende alegando que o veto já foi feito em governos anteriores e que a premiação é dedicada a bandas “tradicionais”.

O edital prevê recursos de R$ 5,47 milhões. Ao todo, 158 projetos deverão ser contemplados.

Em nota enviada ao jornal, a Funarte alega que: “A redação atual é quase igual nas três versões anteriores, 2007, 2010 (Procultura) e 2012, não sendo absolutamente uma novidade da gestão Dante Mantovani. A redação desse item sempre visou apenas a evitar confusão com outros tipos de bandas, não somente as de rock. Estas, como outros tipos de bandas diferentes das bandas civis ‘tradicionais’, nunca foram incluídas nesse prêmio”, diz trecho de nota.

O edital ainda define que, além de grupos que tenham sido beneficiados por emendas parlamentares ou programas estaduais nos últimos dois anos, não podem participar do prêmio “‘fanfarras’ ou ‘bandas marciais’ ligadas ou não a instituições do ensino regular público ou privado, ‘bandas de pífanos’, ‘bandas de rock’, ‘big-bands’, bem como conjuntos musicais assemelhados, conjuntos musicais de instituições religiosas, bandas militares e bandas de instituições de segurança pública”. (BNews)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui