Governo espanhol ‘rouba’ imagem de modelo com perna amputada e edita foto

'O verão também é nosso': a campanha do governo espanhol para combater preconceito contra mulheres — Foto: Governo da Espanha

Imagem foi usada em campanha publicitária incentivando a positividade sobre corpos. Outras duas mulheres também acusaram o Ministério de Igualdade do país de usar uma foto sua sem seu consentimento. Autor da campanha pede desculpas

Uma campanha publicitária do governo espanhol para incentivar a positividade sobre corpos usou imagens sem autorização de mulheres que estampam a propaganda. E pior: ainda editou as fotos, retirando a perna amputada de uma delas.

A campanha, uma ilustração para incentivar que mulheres com qualquer tipo de corpo aproveitem o verão na praia, ainda sofreu fortes críticas dentro da Espanha pelo valor que custou, de 100 mil euros (cerca de R$ 533 mil).

Reprodução do Instagram da modelo britânica Sian Green Lord, que teve sua imagem reproduzida sem autorização e adulterada em uma campanha publicitária do governo da Espanha — Foto: Reprodução/ Redes sociais
Reprodução do Instagram da modelo britânica Sian Green Lord, que teve sua imagem reproduzida sem autorização e adulterada em uma campanha publicitária do governo da Espanha — Foto: Reprodução/ Redes sociais

Uma das fotos utilizadas e adulteradas pertence à modelo britânica Sian Green Lord, que utiliza uma perna mecânica após ter tido uma das pernas amputadas por um atropelamento em 2013.

Através de relatos nas redes sociais, Lord acusou o governo espanhol de, além da adulteração, haver reproduzido sua imagem sem autorização ou qualquer comunicação.

“Desde que eu descobri o que foi feito com a minha imagem, minha confiança tem sido baixa e a ansiedade subiu ao nível máximo! Minhas táticas atuais de motivação pessoal começaram a falhar e agora estou em um lugar estranho”, desabafou a modelo.
O Ministério de Igualdade, responsável pela campanha, não se pronunciou, mas o Instituto das Mulheres – órgão vinculado à pasta – alegou não saber que se tratavam de mulheres reais. A criadora da campanha pediu desculpas e disse que vai dividir o valor recebido pela peça com as modelos retratadas. (Fonte: G1 Bahia)