Homem é condenado a mais de 20 anos de prisão por matar ex-companheira a facadas; vítima era servidora do Detran

Jailson Mendonça, suspeito de matar a ex-companheira a facadas foi preso após tentar tomar veneno — Foto: Divulgação/Polícia Civil

O homem que confessou ter matado a ex-companheira a facadas nas escadarias do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA), em Salvador, foi condenado a 20 anos, dois meses e sete dias de prisão em regime fechado. O julgamento aconteceu na sexta-feira (26), cerca de quatro anos após o crime.

A vítima, Maridalva da Silva Gonçalves, tinha 46 anos e era servidora do órgão. No momento em que foi assassinada, ela chegava para trabalhar. O crime foi cometido pelo então ex-companheiro dela, Jailson Santos Mendonça, que não aceitava a separação.

Jailson vai responder pelo crime na Penitenciária Lemos de Brito, que fica no Complexo Penitenciário da Mata Escura, no bairro de mesmo nome, na capital. Ele foi condenado em júri popular, por homicídio quadruplamente qualificado: pelo motivo torpe; emprego de meio cruel; impossibilidade de defesa da vítima e feminicídio – que é quando a vítima é assassinada por ser mulher.

Bilhete

Na época do crime, após esfaquear Maridalva, Jailson tentou se matar com veneno para rato, mas foi impedido por seguranças do Detran e levado o Hospital Geral do Estado (HGE). Com o planejamento do crime, ele chegou a escrever um bilhete de despedida.

Detido pelos seguranças, ele não chegou deixar o recado no local do crime. O papel foi achado com ele após ele ser custodiado. Também na época do crime, testemunhas contaram a polícia que Maridalva estava sendo ameaçada por Jailson, mas não havia registrado ocorrência em uma unidade policial. (G1)