Impasse ameaça compra de novas urnas eletrônicas para eleições de 2020

-Foto: Divulgação/TRE
Foto: Divulgação/TRE

Um impasse em uma licitação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está ameaçando os planos para a compra milionária de novas urnas eletrônicas a tempo das eleições municipais deste ano. As empresas Positivo e Smartmatic, que concorreram a licitação, foram desclassificadas por não atenderem aos requisitos técnicos exigidos. 

Segundo informações publicadas pelo jornal Estadão, um recurso será julgado nesta quarta-feira (8), em sessão extraordinária convocada às pressas, em plenas férias, pela ministra Rosa Weber, presidente do TSE. O tribunal só retoma regularmente suas atividades no mês que vem. 

Todos os pontos que travam o andamento da licitação são de ordem burocrática. O edital, publicado em julho do ano passado, previa a compra de até 180 mil urnas para as eleições municipais a um custo de, no máximo, R$ 696,5 milhões. 

O objetivo é substituir os equipamentos produzidos em 2006 e 2008 e aumentar o total de urnas.

(Bocão News)