INPE registra mais de 8 mil focos de queimadas na Bahia nos primeiros nove meses do ano

Barreiras: Bombeiros seguem em combate a pontos de incêndio no interior da Bahia — Foto: Reprodução/TV Bahia

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) registrou 8.464 focos de queimadas na Bahia, entre 1° de janeiro e 20 de setembro deste ano, um número quase 7% maior que o registrado em todo ano de 2020. Em cinco anos, o número de queimadas no estado, cresceu 34%.

Os registros dos últimos cinco anos do INPE, mostram que as queimadas na Bahia se intensificam a partir do mês de agosto, mas em 2021 o mês de julho já registrava 732 focos de queimadas em 129 dos 417 municípios. O maior número de focos de incêndio para o mês no período.

A maior parte das queimadas na Bahia estão concentrados na região oeste. Cocos é a cidade com o maior registro de queimadas neste ano – 606 até segunda-feira (20).

Na cidade de Barreiras, a Serra do Saco é um dos locais mais atingidos. Bombeiros e brigadistas combatem chamas que tentam avançar para fazendas da região há dias. Quase 200 focos de incêndios já foram registrados neste ano no município, 75 só em setembro.

Com 1.635 focos de queimadas registrados pelo INPE, o sudoeste da Bahia é a segunda região que mais tem registrado queimadas neste ano. Vitória da Conquista concentra o maior número de registros, com 153 queimadas – o que já representa o maior número de focos de queimadas na cidade nos últimos cinco anos.

A Lagoa das Bateias, área de preservação ambiental com cerca de três hectares, foi incendiada no dia 15 de setembro. A fumaça provocada pelas chamas pôde ser vista de vários cantos da cidade. Bombeiros Militares e brigadistas da secretaria municipal de meio ambiente levaram mais de cinco horas para controlar as chamas.

Este ano, o mês de setembro concentra mais de 64% das queimadas registradas em Vitória da Conquista. Na Bahia, 52,24% (4.422) das queimadas registradas esse ano aconteceram durante o mês, até o dia 20. (G1)