Ladrão assalta mulher durante travessia do ferry boat e obriga vítima a beijar sua boca; “segurança nada fez”

Foto: Ulgo Oliveira

Uma mulher foi assaltada dentro de uma das embarcações do sistema ferry boat, que liga Salvador a Ilha de Itaparica. O filho da vítima, José Roberto, publicou um relato nas redes sociais que viralizou nesta terça-feira (15/9), onde narra que o suspeito ainda obrigou a mulher a beijá-lo.

O filho relatou que o suspeito pediu o celular e a a aliança da mãe. “Eu estava em casa quando o rapaz de dentro do Ferry Boat disse que minha mãe estava desesperada. Minha mãe estava dentro do Ferry boat quando o rapaz sentou do lado dela, supostamente armado, mandou passar a aliança, o dinheiro que ela tinha e ainda levou o celular”, conta.

Para se safar do crime, o ladrão ainda teria forçado intimidade com a vítima. “Ele levantou e falou ‘me dê um beijo’, e minha mãe falou ‘oxe, não vou dar não’, mas ele disse ‘vai dar sim’ e obrigou minha mãe a dar um beijo de lingua nele pra fingir que era namorado”, continuou.

O filho da vítima se queixou da passividade dos seguranças. “Quando desceu a escadaria do ferry, desceu correndo pra parte que entra os carros, porque tem alguns seguranças lá. Minha mãe saiu correndo dizendo: me assaltaram, me assaltaram… um homem negro, de boné, com ‘cara de bandido'”, descreveu. Ainda, segundo o relato, um segurança terceirizado com uma arma na cintura, nada fez ao ver o criminoso passar por ele.

Em nota, a Internacional Travessias Salvador (ITS) confirmou a ocorrência dentro do ferry Ivete Sangalo, que aconteceu no último domingo (12/9) e disse ter recebido as mesmas informações da vítima.  “Os funcionários da ITS acionaram a Polícia Militar e o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), uma vez que a passageira não passava bem após o assalto.

A empresa fez contato telefônico com o filho, morador da Ilha, e garantiu sua travessia até Salvador para acompanhar a mãe, relata o comunicado da empresa, que também levou a mulher até à delegacia. O suspeito fugiu do terminal e ainda não foi identificado. José Roberto espera que as imagens da câmara de segurança possam ajudar a prender o criminoso. (Aratu)