Líder religioso que atribuiu pandemia a LGBTs é diagnosticado com coronavírus

-
Foto: Reprodução/Facebook

Depois de dizer que a pandemia do novo coronavírus era uma “punição pelos pecados dos homens e pela humanidade pecaminosa”, o patriarca Filaret, líder da Igreja Ortodoxa da Ucrânia, foi diagnosticado com Covid-19, doença provocada pelo vírus.

O anúncio do teste positivo foi feito pela instituição liderada por ele, que também pediu orações ao líder religioso.

A declaração homofóbica de Filaret ocorreu em março, durante aparição a uma TV ucraniana. “Primeiro de tudo, eu menciono o casamento entre pessoas do mesmo sexo”, disse.

Na ocasião, de acordo com o G1, o grupo Insight, ativista por direitos da população LGBT na Ucrânia, entrou com processo em abril contra o patriarca. A instituição religiosa, porém, disse que ele tem “liberdade para expressar suas visões”.

A Ucrânia está entre os países considerados menos seguros para a população LGBT na Europa. A maioria dos estados que integram a União Europeia reconhece ao menos algum tipo de união civil para homossexuais, como o casamento. (bahia.ba)