Morre o artista venezuelano Carlos Cruz-Díez aos 95 anos, em Paris

Carlos Eduardo Cruz-Diez morreu no sábado, 27 de julho de 2019 — Foto: Divulgação/Cruz-diez.com

Morreu no sábado (27) o artista cinético venezuelano Carlos Cruz-Díez, em Paris, aos 95 anos. O anúncio da morte foi feito em seu site oficial neste domingo (28).

“O Mestre Carlos Cruz-Díez, um dos máximos expoentes da arte cinética em nível mundial, faleceu em Paris, França, neste sábado, 27 de julho, por causas naturais, aos 95 anos de idade, cercado de sua família”, diz a nota divulgada online.

Cruz-Díez era considerado o maior artista cinético ainda vivo. O “cinetismo” foi um movimento das artes plásticas que nasceu na década de 1950, na França. Os artistas usam efeitos visuais em suas obras, criando ilusões de ótica e sensação de movimento, por meio de jogos de posicionamento, geometria e cores, por exemplo.

O cinetismo rompeu com a tradição de que as pinturas eram uma situação “estática”, pois suas obras se apresentavam como um objeto móvel. Para os cinéticos, não bastava representar o movimento por meio da arte, mas apresentar a própria obra arte em movimento.(G1)