Na beira da crise, Bahia encara o Nacional-PAR para recuperar confiança e tranquilidade

-
Partida entre Bahia e Nacional-PAR será disputada na Arena Fonte Nova — Foto: Gustavo Castellucci/TV Bahia

O ano mal começou, mas o Bahia já está na beira da crise. Com apenas quatro jogos da equipe principal na temporada, o Tricolor foi eliminado da Copa do Brasil ainda na primeira fase e perdeu o clássico para o Vitória, disputado pela Copa do Nordeste. Para não entrar de vez no olho do furacão, o time treinado por Roger Machado tenta reencontrar o caminho dos bons resultados nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), quando enfrenta o Nacional-PAR, na Arena Fonte Nova, pela estreia na Copa Sul-Americana.

Para Roger Machado, a partida contra o Nacional-PAR pode aliviar um pouco a pressão. O treinador foi vaiado no último sábado, na derrota ocorrida no Ba-Vi. No fim do clássico, os torcedores que marcaram presença na Fonte Nova cantaram “Adeus, Roger”.

– Estou tentando usar a máxima experiência utilizada nos anos do futebol. Torcedor tem razão de cobrar, de criticar. Torcedor veio ao estádio, mesmo decepcionado por eliminação precoce na Copa do Brasil. Somente no final demonstrou insatisfação com o comando, com o jogo. Foi um resultado ruim, somado à eliminação da Copa do Brasil, que gera esse desgaste. Tentar assimilar o mais rápido possível. Proteger e blindar os atletas. Semana que vem temos outro confronto e precisamos de nosso torcedor – comentou o treinador após a partida.

Douglas Friedrich também chega ao jogo desta quarta-feira questionado. Ele falhou na derrota para o River-PI, que provocou a eliminação na Copa do Brasil, e também errou no lance que originou o primeiro gol do Vitória. Apesar do histórico de boas atuações com a camisa tricolor, o goleiro foi vaiado a cada toque na bola ao longo do Ba-Vi.

– Dia difícil para mim. Mas sou um homem de 31 anos, tenho uma família, tenho uma história. Essa partida não me define. Eu tenho essa convicção. E vou seguir com as minhas convicções. Não tem nada de errado comigo. Nada de errado com o trabalho. Faz parte. Todos nós passamos por momentos difíceis. Eu já passei por muitos momentos difíceis na minha vida. Talvez, dentro do Bahia, seja o momento mais difícil individualmente. Mas tenho certeza que, com trabalho, fé, com amor e respeito que tenho por essa camisa e essa instituição, a gente ainda vai dar muitas alegrias para o Bahia neste ano e nos próximos anos – disse o jogador no último fim de semana.

Escalação do Bahia para jogo contra o Nacional-PAR — Foto: GloboEsporte.com
Escalação do Bahia para jogo contra o Nacional-PAR — Foto: GloboEsporte.com

Apesar da fase ruim, Douglas Friedrich deve ser mantido como titular no gol do Bahia. A tendência é que Roger modifique a equipe, já que Clayson e Daniel não conseguiram render o esperado nos primeiros jogos do ano. O treinador pode também mudar o esquema tático, com o 4-2-3-1 dando lugar a um 4-4-2. O Tricolor deve ser montado com Douglas Friedrich; João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Flávio, Élber e Rossi; Arthur Caíque e Gilberto.

Em 2020, o Bahia disputará a Copa Sul-Americana pela terceira temporada consecutiva. Em 2019, o Tricolor foi eliminado na primeira fase para o Liverpool-URU. Já em 2018, o time baiano foi mais longe. Saiu nas quartas de final para o Athletico, que acabou campeão do torneio.

O jogo

Bahia x Nacional-PAR, primeira fase da Copa Sul-Americana;
Onde: 
Arena Fonte Nova, Salvador;
Data: 15 de fevereiro, quarta-feira;
Horário: 21h30 (de Brasília);
Provável time do Bahia: Douglas Friedrich; João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Flávio, Élber e Rossi; Arthur Caíque e Gilberto;
Desfalques do Bahia: Ninguém;
Arbitragem: Roberto Tobar apita a partida, auxiliado por Claudio Rios e Alejandro Molina. O trio de arbitragem é do Chile.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui