‘Não temas, Eu sou contigo’ é o versículo mais lido de 2020 no aplicativo da Bíblia

Imagem: Portal Padom

Durante os momentos mais difíceis de um ano particularmente difícil, as pesquisas bíblicas em aplicativos e sites de busca dispararam e um número recorde de pessoas se voltou para as Escrituras em busca de passagens que tratam do medo, da cura e da justiça. Um aplicativo da Bíblia relatou que Isaías 41:10 foi o versículo mais lido da Bíblia em 2020.

O app YouVersion Bible constatou que as pesquisas aumentaram em 80 por cento ao longo do ano, totalizando quase 600 milhões em todo o mundo. Isaías 41:10 foi classificado como o versículo mais lido e marcado no aplicativo: “Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa”.

“Em todas as dificuldades, as pessoas continuam a buscar a Deus e se voltam para a Bíblia em busca de força, paz e esperança”, disse o fundador do app YouVersion, Bobby Gruenewald. “Embora 2020 seja um ano que muitos dizem que gostariam de esquecer, nós o vemos como um ano para lembrar como Deus usou o App da Bíblia para ajudar tantas pessoas que estão em busca de respostas”.

Refúgio

As pesquisas bíblicas aumentaram correspondendo a eventos importantes, com termos como “medo” se tornando principal nas pesquisas do aplicativo nos primeiros meses do ano, “justiça” no outono e “cura” se estendendo ao longo do ano.

O site Bible Gateway relatou tendências de pesquisa semelhantes. Versos relacionados à pandemia sobre Deus curando doenças tiveram cerca de 90 vezes mais consultas do que a média quando o confinamento decorrente da COVID-19 começaram em março.

O mesmo site também viu consultas relacionadas a racismo, justiça e opressão atingindo 100 vezes a média na semana seguinte ao assassinato de George Floyd, e versos relacionados à autoridade do governo aumentando pelo menos 50 vezes a média no dia da eleição presidencial dos EUA.

Enquanto João 3:16 e Jeremias 29:11 lideravam as classificações do Portal da Bíblia para os versículos principais – como têm feito na maioria dos anos – II Crônicas 7:14 saltou para o terceiro lugar: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra”.

A passagem tem sido comumente citada em orações pelo presidente Donald Trump e foi o versículo mais pesquisado sobre sua eleição em 2016.

As pesquisas do Bible Gateway por “medo” e “não tema” aumentaram neste ano, com “medo” ficando em sexto lugar nas pesquisas de palavras-chave mais populares em inglês.

A garantia de Isaías de “não tema”, que foi o versículo mais importante do App da Bíblia em todo o mundo, tanto neste ano como em 2018, também foi classificado como o versículo nº 1 nos EUA, Índia, África do Sul, Holanda e Filipinas. Em Gana, o versículo superior foi Filipenses 4: 8, e no Quênia, Romanos 8:28 (“em todas as coisas Deus trabalha para o bem…”).

Ambos os países estavam entre as várias nações da África Subsaariana onde a leitura geral da Bíblia cresceu no aplicativo em 2020 – mais de um terço em relação ao ano passado. Na Etiópia, o envolvimento com a Bíblia cresceu 61%, de acordo com o app.

Leitura crescente

No geral, o aplicativo rastreou 43,6 bilhões de capítulos da Bíblia lidos em 2020, com meio bilhão de versículos compartilhados, o maior número já registrado.

Há alguns meses, o portal Christianity Today relatou como o Domingo de Páscoa foi o dia com maior acesso do app YouVersion em todos os tempos e como a ferramenta serviu para transmitir cultos online a milhões de cristãos durante as primeiras semanas da pandemia.

O aplicativo continuou a mostrar um envolvimento constante e crescente, mesmo com pesquisas sobre os leitores da Bíblia indicando um declínio devido ao COVID-19.

Por outro lado, uma pesquisa da Sociedade Bíblica Americana (ABS, na sigla em inglês) descobriu que a porcentagem de usuários diários da Bíblia caiu para 8,5% em junho, ante 14% no início do ano anterior, de acordo com seu relatório do Estado da Bíblia de 2020.

A entidade aponta ainda que 65% dos leitores da Bíblia disseram que preferem ler a Bíblia impressa em vez de digital.