Papa pede que comunidade internacional ajude Líbano após explosão em Beirute

-
Foto: Vatican Media

Após uma explosão provocar a morte de mais de 100 pessoas em Beirute, capital do Líbano, o papa Francisco pediu à comunidade internacional que ajude o país do Oriente Médio a superar a grave crise que ultrapassa. O pontífice pontuou que a explosão destruiu parte da cidade, que já passava por dificuldades em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

“Vamos rezar pelas vítimas e suas famílias, e rezar pelo Líbano para que, com o comprometimento de todos os seus componentes políticos, sociais e religiosos, possa enfrentar esse momento trágico e doloroso”, declarou o papa ao pedir que a comunidade internacional auxilie o país, de acordo com o G1.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) manifestou solidariedade “às famílias das vítimas fatais e aos feridos” da tragédia. Em mensagem publicada nas redes sociais, ele afirmou que o Brasil abriga a maior comunidade de libaneses do mundo.

Atualmente, segundo dados da Cruz Vermelha Libanesa, mais de 100 mortes já foram confirmadas. O número de feridos ultrapassou a marca de 4 mil. A suspeita principal é de que a explosão tenha ocorrido em um depósito de nitrato de amônio, que é uma espécie de fertilizante.

Segundo a publicação, o presidente do país, Michel Aoun, classificou como “inaceitável” que 2.750 toneladas da substância estivessem armazenadas por seis anos em um depósito sem a segurança necessária, conforme foi averiguado. O ministro da Saúde, Hamad Hasan, reconheceu que eles enfrentam “uma verdadeira catástrofe” diante da situação. (BN)