PF suspeita de vazamento em operação que mirou bolsonaristas Zé Trovão e Sérgio Reis

O cantor e ex-deputado Sérgio Reis apagou o aplicativo Whatsapp antes da ação

A Polícia Federal colheu indícios que indicam que houve vazamento de informações da investigação que mirou bolsonaristas acusados de ter organizado atos antidemocráticos durante as comemorações do 7 de setembro de 2021. Os envolvidos ficaram sabendo com antecedência que seriam alvo da operação.

As informações foram obtidas após análises de celulares apreendidos e constam nos relatórios do inquérito, que foram obtidos pelo jornal O Globo. De acordo com a publicação, o cantor e ex-deputado Sérgio Reis apagou o aplicativo Whatsapp antes da ação, que aconteceu no dia 20 de agosto. A PF cumpriu mandados de busca e apreensão contra dez alvos, dentre eles o canto e o líder caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão.

No dia 15 de agosto, cinco dias antes da ação, um dos organizadores dos atos do Dia da Independência, o militante bolsonarista Juliano Martins, trocou mensagens com um interlocutor e afirmou que já sabia que dez integrantes do grupo, entre eles Sérgio Reis e Zé Trovão, seriam alvo de uma operação policial.

Há informações também de que o ativista Juliano Martins já havia previsto o número de alvos e o nome de alguns dos envolvidos que receberiam a visita da PF dias depois. (bahia.ba)