Programa de monitoria estudantil na rede estadual abre 52 mil vagas para monitores em toda Bahia

O programa ‘Mais Estudo’ abriu 52 mil vagas de monitoria estudantil nesta terça-feira (2). O objetivo é pagar bolsas de R$ 100 para alunos da rede pública com notas acima de 8, que irão ajudar colegas no estudo das disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica da Educação Básica.

O edital foi publicado no Diário Oficial do estado, após aprovação, por unanimidade, pela Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) e sanção do governador Rui Costa, no mês de fevereiro.

Serão oferecidas duas vagas de monitores por turma em todas as unidades escolares da rede estadual e os selecionados receberão uma bolsa de R$ 100, durante o período de vinculação ao programa.

Seleção

A seleção será de 15 a 26 de março, de forma remota. Serão selecionados os estudantes do 8º e 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 4ª séries do Ensino Médio e da Educação Profissional. O estudante precisa estar matriculado na unidade onde fará a monitoria.

Além disso, precisa possuir média final igual ou maior a oito, no ano letivo vigente ou no trimestre anterior àquele em que será iniciada a seleção na disciplina para a qual pleiteia a monitoria. Nas unidades escolares em que haja alunos insuficientes para o preenchimento das vagas disponibilizadas, serão considerados elegíveis, aqueles com nota igual ou maior que sete.

O estudante também precisa ter nome em uma lista de pré-habilitado, que ainda será divulgada no site do Sistema de Gestão do programa.

Atribuições

Caberá à unidade escolar constituir comissão de seleção dos monitores e organizar a forma de distribuição dos grupos de estudo para cada turma, sob a responsabilidade do estudante monitor, considerando as diretrizes da Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC).

A forma de distribuição dos grupos de estudo será especificada no Documento de Orientações Pedagógicas do Programa Mais Estudo. Para aderir ao programa, o gestor da unidade escolar deverá confirmar a participação do estudante através da inscrição da unidade escolar no Sistema de Gestão do programa.

Já o estudante precisará dispor de oito horas semanais, de acordo com o calendário definido pela equipe gestora e Coordenação Pedagógica da unidade escolar; e não estar atuando em outra monitoria.

O programa começou de forma piloto, em 2019, com a oferta de 10 mil vagas. Agora, já é uma política pública de Estado e vai ofertar 52 mil vagas de monitoria.

  • TAGS