Salvador: Estação de esgoto no Rio Vermelho passará por nova manutenção e praias poderão receber resíduos não tratados

Estação de esgoto da Lucaia, no Rio Vermelho, passa por novo serviço de manutenção e praias da região podem ser afetadas — Foto: Reprodução/TV Bahia

Um serviço de manutenção vai interromper novamente a estação de esgoto do Lucaia, entre a noite da segunda (30) e a madrugada da terça-feira (31), para possibilitar o reparo de uma tubulação por onde passa o efluente que é bombeado para o emissário submarino do Rio Vermelho. Um serviço semelhante ocorreu no início deste mês.

Por causa disso, as praias entre o Rio Vermelho e a Barra podem ser atingidas por esgoto não tratado, durante a realização do serviço. A manutenção terá duração de 12 horas, iniciando às 19h do dia 30 e terminando às 5h do dia 31.

Segundo a Embasa, a necessidade de mais uma parada da estação foi indicada pelos técnicos que trabalharam no serviço anterior. Eles verificaram que essa tubulação sofreu desgaste por mais de 25 anos de uso e precisa ter um trecho substituído.

O superintendente de esgotamento sanitário da Embasa, Flávio Lordello, informou que essa é uma tubulação de grande porte, cujo reparo não fazia parte do escopo dos serviços de manutenção preventiva executados entre o dia 9 e 10 de agosto.

Ainda de acordo com o superintendente, foi planejada uma parada específica em período onde há menor chegada de esgoto na Estação do Lucaia e, além disso, serão mantidas as medidas para reduzir o impacto do extravasamento de efluente, com a utilização de remediadores biológicos para reduzir carga orgânica e odor, além de barreira física na foz do Lucaia.

A Embasa informou que o Serviço Social da empresa também avisou aos pescadores e comunidades que habitam na faixa de praias entre o Rio Vermelho e o Farol da Barra sobre a situação.

A orientação dada pela empresa, a título de prevenção de risco, é que as pessoas evitem frequentar as praias desta faixa por, pelo menos, 72 horas, tempo suficiente para a dissipação do impacto verificado a partir da avaliação dos resultados obtidos no monitoramento que será realizado pelo Laboratório Central da Embasa entre os dias 31 de agosto e 1º de setembro. (G1 / Bahia)