Santa Rita de Cássia: Cinco motos com suspeita de clonagem são apreendidas

Foto: Reprodução / SSP - BA

Cinco motocicletas suspeitas de terem sofrido clonagem de placas e adulteração no chassi foram apreendidas, nesta quinta-feira (2), circulando nas ruas de Santa Rita de Cássia, na Bacia do Rio Grande. Na operação, realizada por equipes da 86ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Formosa do Rio Preto),  os condutores foram detidos e levados à delegacia.
 
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), o  levantamento de informações sobre os automóveis fez com que os PMs passassem por localidades no centro da cidade e pela Fazenda Nova Índia, na zona rural. De acordo com o comandante do 3º Pelotão (Santa Rita de Cássia), aspirante-a-oficial Felipe Franco Martins, foram abordadas quatro Hondas XRE, sendo três 190 e uma 300, de placas RLW 6F80, QXI 9877, PTQ 7A71 e RJI 2A93, respectivamente, além de outra modelo Titan 160, de placa QFD 8A31.

“Já possuíamos as informações de que as motos vieram do estado de Brasília e, durante a inspeção, identificamos que elas possivelmente foram adulteradas pela forma em que encontravam os veículos e os Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV)”, explicou.
 
As guarnições então mantiveram contato com equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que informaram sobre a presença de um dos veículos abordados circulando no município de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, na terça-feira (31), e após verificação das imagens das câmeras de monitoramento das rodovias federais, e dos códigos QR presentes nas placas ‘Mercosul’, não encontraram vínculos com nenhuma das motos, o que levantou a suspeita.
 
De acordo com o titular da delegacia da cidade,  delegado Arnaldo Monte, dois suspeitos foram presos em flagrante por receptação, pagaram fiança e foram liberados e os outros três foram ouvidos, responderão a um inquérito policial e serão investigados. “Já expedi as guias para que o Departamento de Polícia Técnica (DPT) possa apurar se realmente as motos estavam com o emplacamento clonado e o chassi adulterado. E com certeza essa avaliação dos peritos ajudará ainda mais nas investigações”, concluiu o delegado. (BN)