SP: Mulher sofre racismo em metrô: “pode transmitir doenças”

Montagem/Reprodução Vídeo

Uma mulher negra sofreu racismo em um vagão do metrô de São Paulo nesta segunda-feira (2). Uma passageira branca disse a ela seu cabelo poderia “transmitir doenças”. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. o de Welica Ribeiro, que é do Rio de Janeiro.

“As pessoas é precisam entender que precisamos ser respeitadas, não porque somos negros, mas porque somos seres humanos e a gente merece respeito”, falou Welica.

Welica estava no vagão com seu irmão e seus pais, quando uma mulher loira começou a falar do cabelo dela. Samuel Lopes, uma das testemunhas, contou como aconteceu: “A mulher virou assim: ‘moça, podia me dar licença, tirar seu cabelo, que você pode passar alguma doença pra mim’, com aquela cara de cinismo mesmo”. 

O episódio começou a ser filmado pelo irmão de Welica e provocou revolta nos demais passageiros, que chegaram a bloquear a saída para que a mulher não fosse embora. Eles também gritaram “racista”.

As pessoas que estavam presentes ficaram indignadas e decidiram bloquear a saída da estação até a chegada da polícia. Welica, seu irmão Jonatan Ribeiro e Samuel Lopes foram até uma delegacia registrar a ocorrência. A mulher que fez as ofensas também foi ouvida. No termo de depoimento que o irmão da vítima prestou, foi registrado o nome de Agnes Vajda como sendo a mulher que proferiu as ofensas.

“Eu estou mantendo, tentando manter a calma desde o início para tentar resolver a situação. Só quem passa na pele sabe”, relatou emocionado o irmão de Welica. (Bnews)

Veja mais notícias no vozdabahia.com.br e siga o site no Google Notícias