SSA: Câmeras inteligentes ajudaram seguir trajeto de criminosas após morte de Cristal

(Reprodução/TV Bahia)

Policiais pegaram características das criminosas para pesquisar no banco de imagens das câmeras

As câmeras de análise situacional espalhadas pela região central de Salvador auxiliaram as equipes da Polícia Civil na descoberta da rota de fuga das mulheres envolvidas na morte da adolescente Cristal Pacheco, ocorrida no último dia 2. Com as características das roupas utilizadas pelas suspeitas foi possível filtrar as imagens de pessoas utilizando vestimentas semelhantes nos arredores do bairro do Campo Grande, onde ocorreu o crime.

“As imagens iniciais mostraram que uma delas utilizava roupa rosa e que a outra estava vestida com uma peça azul marinho. Com a tecnologia nós conseguimos visualizar todas as pessoas que trajavam roupas com essas características e verificamos que a dupla havia passado momentos depois por uma das câmeras do bairro 2 de Julho”, explicou o coordenador de Inteligência do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado Felipe Madureira.

A informação sobre o trajeto seguido pelas mulheres depois da morte de Cristal ajudou as equipes de inteligência, auxiliando na coleta de mais informações sobre a dupla. “Antes de termos essa informação disponibilizada pela tecnologia, nós tínhamos o conhecimento de que elas tinham tomado um táxi após o crime. As imagens das câmeras inteligentes mostram a dupla no bairro Dois de Julho, inclusive uma delas já havia trocado de roupa”, acrescentou o delegado. 

Câmeras inteligentes

A análise forense é uma das funcionalidades das câmeras inteligentes do projeto Video-Polícia, que também dispõe de reconhecimento facial e de placas.  A tecnologia permite fazer pesquisas através de características  como  cor da roupa, como a utilizada na investigação do homicídio ocorrido no Campo Grande, ou de comportamentos, entre outros filtros de busca.

Suspeita confessou disparo
Presa na quinta-feira (4), Andréia Rasta, como é conhecida, confessou à polícia que atirou em Cristal. A delegada Andréa Ribeiro, diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), afirmou em coletiva na quinta que a suspeita estava escondida na cidade de Nova Soure, mas resolveu se apresentar com um advogado depois que teve prisão decretada pela Justiça.

A arma de fogo usada na morte de Cristal Rodrigues Pacheco, de 15 anos, foi apreendida pela Polícia Civil nesta sexta-feira (5). A pistola calibre 6.35 foi achada com um carregador e três munições intactas na casa de um adolescente no Largo Dois de Julho. Com o menor, também foram encontradas porções de cocaína.

Segundo a polícia, a pistola foi entregue ao adolescente pela acusada pelo latrocínio, Andréia Santos Carvalho, de 28 anos, que assumiu em depoimento ter dado o tiro que matou Cristal. Ele escondeu a arma dentro de casa. O menor foi encaminhado à Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI). 

Entenda o caso
A adolescente Cristal Rodrigues Pacheco, 15 anos, que seguia para a escola, foi morta durante uma tentativa de assalto, a pouco metros da sede do Comando Geral da Polícia Militar.

Moradora do Corredor da Vitória e estudante do Colégio das Mercês, a adolescente estava acompanhada da mãe e da irmã quando foi abordada. Segundo informações iniciais, no meio da ação, uma das suspeitas, que carregava uma pistola calibre 653, colocou a arma no peito da vítima e disparou contra ela antes de fugir.

O crime aconteceu em frente ao Palácio da Aclamação, próximo ao Campo Grande. Cristal não resistiu aos ferimentos e morreu antes mesmo de ser atendida, ainda com o uniforme da escola. A mãe e a irmã de Cristal não sofreram ferimentos e estão em casa.

Em nota, a Polícia Militar informou que foi acionada por volta das 7h através do Cicom. Equipes do 18º BPM, unidade responsável pelo policiamento da região, foram até o local e já encontraram a estudante baleada. (Correio)