Surfistas da Bahia se destacam na abertura do Circuito Banco do Brasil em Salvador

Foto: Daniel Smorigo / World Surf League

A segunda etapa do Circuito Banco do Brasil de Surfe foi iniciada nesta quinta-feira (12), direto da Praia de Stella Maris, em Salvador. Os surfistas da Bahia se destacaram em casa, com o experiente Alandreson Martins fazendo os recordes do primeiro dia e Maria Eduarda, de apenas 13 anos, vencendo a primeira bateria feminina. 

O evento é promovido pela World Surf League (WSL) Qualifying Series, que há 10 anos não acontecia em Salvador. Nesta sexta-feira (13), eles vão enfrentar os cabeças de chave do evento, que entram nas fases mais avançadas da competição.

As primeiras baterias, valendo vagas para a rodada de estreia das principais estrelas do Circuito Banco do Brasil de Surfe, foram vencidas pelo paulista Luan Carvalho e pelo gaúcho Luiz Henrique Rosa. O primeiro surfista da Bahia a se classificar com vitória nas boas ondas da quinta-feira, sem o vento maral característico do Nordeste, foi Davi Silva, de Itacaré. 

Junto com Davi, avançou Lukas Camargo, com ambos eliminando Gabriel Leal e Ismael Silveira.

“Eu estava em casa, quase não estou competindo esse ano e só estou aqui graças a um amigo meu, que pagou minha inscrição e me incentivou para vir para cá”, contou Davi Silva. “É isso que a gente precisa, de que se alguém puder ajudar, ajude. Eu nunca tinha passado uma bateria do QS, já corri várias etapas em casa (Itacaré) e a onda que eu surfo lá, na Praia da Tiririca, são iguais as de Stella Maris. Estou feliz porque hoje consegui passar minha bateria, suave, bem de mente e de saúde, então creio que vai dar tudo certo daqui para a frente”.

E Davi Silva já terá que encarar uma pedreira em sua próxima bateria, a quinta da terceira fase, que é encabeçada por um dos vice-líderes no ranking sul-americano de 2022/2023 da World Surf League Latin America, Gabriel André. Além do paulista, vai enfrentar o alagoano Willian Feiden e o potiguar Kayan Medeiros, na disputa por duas vagas para a fase dos 32 melhores da etapa nordestina do Circuito Banco do Brasil de Surfe.

O grande destaque do primeiro dia foi outro surfista de Itacaré, o experiente Alandreson Martins. Ele representou a Bahia no Circuito Brasileiro Profissional nos anos 2000 e estava sem competir desde 2019, mas conseguiu achar boas ondas para mostrar sua radicalidade nas manobras e fazer os recordes da quinta-feira na Praia de Stella Maris. A melhor apresentação valeu nota 7,17, que somou com 6,67 para totalizar imbatíveis 13,84 pontos nas quatorze baterias disputadas no primeiro dia.

“Estou muito feliz, amarradão e primeiramente quero agradecer à Deus, pela oportunidade de estar competindo aqui em Stella Maris novamente”, disse Alandreson Martins. “O mar está um pouco difícil, mas estou acostumado com essa onda, uma onda rápida como a da Praia da Tiririca, lá em Itacaré, onde eu moro. Ficou uns 10 minutos ali de calmaria, mas depois consegui imprimir um ritmo de duas ondas muito boas e avancei para o próximo rounde”, destacou. 

Alandreson Martins também comentou sobre este novo Circuito Banco do Brasil de Surfe, que tem como objetivo descobrir novos talentos em cada região do país. A primeira das três etapas aconteceu na Praia da Ferrugem, em Garopaba, no Sul do Brasil. Nesta semana, tem essa na Bahia e a terceira e última será no mês de agosto na Região Sudeste, em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. Todas as etapas são realizadas com o princípio da igualdade na premiação para homens e mulheres, incentivada pela World Surf League.

“Esse é um incentivo muito grande. É muito bom ter esse apoio para a galera acordar um pouco para incentivar mais o surfe, ainda mais nesse momento que nosso esporte precisa tanto deste apoio”, destacou Alandreson Martins. “Acho uma atitude muito legal e positiva do Banco do Brasil e que venham bastante eventos por aí, para ter mais surfistas podendo viver do esporte e que surjam novos talentos também com esta iniciativa”.

DESTAQUE FEMININO

Após o término da segunda fase masculina, foram realizadas as duas baterias da rodada inicial feminina, praticamente só com surfistas da nova geração da Bahia. A primeira a vencer foi uma das grandes promessas da categoria, Maria Eduarda, que também é do litoral Sul do estado, Serra Grande, mas sempre treina em Itacaré. 

“Eu me preparei muito forte em casa, mentalmente, fisicamente, o mar está muito bom, as vezes demora um pouco, mas se esperar a onda vem e só agradeço a Deus. Honra e glória para Ele, que me ajudou a vencer essa bateria”, disse Maria Eduarda. “Na verdade, meu foco é tentar chegar na final. Se Deus quiser, vou passar as próximas baterias, mesmo sendo contra atletas mais experientes. Espero ganhar também das surfistas que me inspiram nesse campeonato, como a Julia Santos. Ela tem um surfe muito polido, eu gosto muito dela e na verdade é uma das minhas maiores inspirações nesse campeonato”, pontuou. 

Maria Eduarda já terá um grande teste na próxima fase, pois enfrentará, na bateria que vai abrir a sexta-feira, às 8h, na Praia de Stella Maris, a vencedora da primeira etapa do Circuito Banco do Brasil de Surfe em Santa Catarina e bicampeã sul-americana Pro Junior da WSL Latin America, Tainá Hinckel. Além da catarinense, também terá que encarar a campeã brasileira Monik Santos e Julia Duarte.

A surfista que ela revelou ser sua maior inspiração, a paulista Julia Santos, vai estrear na segunda bateria com a grande estrela do surfe feminino do Brasil, Silvana Lima. Além delas, participam deste confronto a argentina Catalina Mercere e a baiana Deyse Costa, que se classificou em segundo lugar na bateria vencida por Maria Eduarda. Na outra disputada na quinta-feira, avançaram Vidda Cavalcanti em primeiro lugar e Tamires da Silva em segundo. (BN)