Suspeitos de envolvimento no ‘Caso Atakarejo’ têm prisão preventiva prorrogada

Foto: Divulgação

Os oito suspeitos de envolvimento nas mortes de Bruno e Yan Barros, tio e sobrinho, no caso do Supermercado Atakarejo, tiveram a prisão preventiva prorrogada. O prazo de 30 dias da prisão expirou nesta quarta-feira (8). Entre os suspeitos estão três seguranças do estabelecimento e cinco traficantes.

A Polícia Civil afirma que o inquérito também foi prorrogado e segue na coleta de novos dados. “A 1ª DH/Atlântico realiza as investigações, e laudos periciais são analisados. Mais de 30 pessoas já foram ouvidas. Oito pessoas foram presas. Mais detalhes não estão sendo divulgados, para não prejudicar o curso das apurações”, diz em nota ao Metro1. 

As vítimas, Bruno Barros, de 19 anos, e seu tio, Yan Barros, de 29, foram encontrados mortos em 26 de abril, com sinais de tortura. Horas antes, eles foram cercados por seguranças do supermercado Atakadão Atakarejo, que teriam entregado a dupla para traficantes do Nordeste de Amaralina, onde está situado o mercado. (Metro1)