Técnico de vôlei é preso por suspeita de estupro e assédio sexual

O pai de uma das vítimas informou que ouviu boatos sobre casos mais antigos e decidiu investigar a situação

Um técnico e árbitro de vôlei foi preso nessa quinta-feira (4), por suspeita de estupro de vulnerável e assedio sexual contra jovens. André Testa era treinador de uma equipe de São José, em Santa Catarina. Ele foi denunciado por ex-atletas.

Em maio deste ano, uma das vítimas procurou relatou à Polícia Civil e relatou o que teria acontecido no ano de 2017, quando tinha 15 anos. Em entrevista ao Portal GE de Santa Catarina, o jovem contou que foi levado para a casa do treinador e lá o homem começou a passar a mão pelo corpo da vítima.

“Eu não tinha malícia na época, porque tinha muita confiança nele. Era uma pessoa muito persuasiva e acabou abusando de mim. Eu não estava entendendo direito essa situação. Foi a minha primeira vez”, disse.

O ex-atleta relatou ainda um outro episódio, quando foi levado pelo treinador para um restaurante. “Ele comprou bebida alcoólica e forçadamente ficava insistindo para que eu tomasse mesmo eu não querendo. Ele insistiu e eu acabei cedendo. Eu estava completamente bêbado e quando a gente foi para o carro achei que a gente ia para Casa Atleta dormir, no outro dia treinar, só que aí ele tomou um rumo diferente”, contou.

“Ele foi para o motel. Só que eu só tenho um flash de memória, não tenho memória completa por conta de estar muito, muito bêbado. Não consegui resistir fisicamente. Ele só me levou para tomar um banho, me botou na cama pelado e me estuprou”, finalizou.

De acordo com o testemunho dos jogadores, esses não foram os únicos episódios de assédio sexual envolvendo o treinador. O pai de uma das vítimas informou ainda que ouviu boatos sobre casos mais antigos e decidiu investigar a situação.

“A gente fica chocado, revoltado, porque uma pessoa que está à frente de um projeto que atende crianças, que às vezes tem crianças carentes, que tem problemas sociais de família e buscam, no esporte, algo para descontrair, para ser algo prazeroso e ter um acontecimento desse. A gente fica chocado”, desabafou o pai.

O Portal GE teve acesso a um trecho da conversa por WhatsApp, entre duas vítimas. Na troca de mensagens, um deles revela que não denunciou o treinador para prejudicar o time e não destruir o sonho dos outros jovens. (bahia.ba)