Viúva de pastor sepultado após não ressuscitar diz que ‘fé não foi abalada’

Foto: reprodução/rede social

A viúva do pastor Huber, que se tornou notícia em todo o Brasil por ter dito que ressuscitaria após três dias de sua morte (reveja aqui), afirmou que seu sepultamento em nada abala sua fé em Deus.

Em 2008, Huber Carlos Rodrigues escreveu uma carta em que dizia que havia recebido a revelação do Espírito Santo sobre sua ressurreição três dias após sua morte. Na última sexta-feira, 22 de outubro, ele faleceu, e o sepultamento ocorreu no final da noite de segunda, 25.

Em entrevista à TV Anhanguera, a viúva contou que sua exigência para que o corpo fosse mantido insepulto era uma demonstração de virtude: “Usamos a fé. Todos contemplaram um clarão enorme e uma chuva mansinha em cima da funerária. Creio que naquele momento, Deus levou ele. Os mistérios de Deus a gente não entende”, disse Ana Rodrigues.

Na carta, o pastor foi bastante enfático sobre os procedimentos após sua morte: “Minha integridade física tem que ser totalmente preservada, pois ficarei por três dias morto, sendo que no 3ª dia, eu ressuscitarei. Meu corpo durante os três dias não terá mau cheiro e nem se decomporá, pois o próprio Deus terá preparado minha carne e meu cérebro para passar por essa experiência”.

Segundo Ana, o que o marido havia escrito se confirmou: “Eu estive com o corpo dele pelos três dias e realmente não teve mal cheiro algum e não houve decomposição. A pele estava firme ainda. Deus cumpriu o que prometeu”, afirmou.

Agora que o marido foi sepultado e o caso se tornou de conhecimento em todo o país, a igreja que Huber dirigia deverá continuar se reunindo.

“Deus sabe o que faz, a minha fé não ficou abalada, muito pelo contrário, foi avivada. Eu estou com a minha consciência tranquila de que atendi a um pedido do meu marido, que tanto bem fez para esta comunidade”, encerrou.