“Vocês sabem a minha posição, não é interferência”, diz Bolsonaro sobre EUA

© Flickr/Alan Santos/PR Os presidentes de Brasil e Estados Unidos, Jair Bolsonaro e Donald Trump, em março de 2019

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta 4ª feira (04.nov.2020) a apuração das eleições presidenciais nos Estados Unidos. “Vocês sabem a minha posição. É clara, isso não é interferência. Tenho uma boa política com o [presidente Donald] Trump. Espero que ele seja reeleito. Espero, né?”, disse a apoiadores no Palácio da Alvorada.

Até as 10h30 (horário de Brasília) de 4ª feira (4.nov), o candidato democrata Joe Biden tinha 238 delegados contra 213 do republicano Donald Trump.

Bolsonaro afirmou que o Brasil seguirá à espera do resultado da votação norte-americana“sem interferir em nada na maior economia do mundo”. “Até porque, quem somos nós para interferir, né?”, disse. O presidente afirmou que os críticos esperam dele uma relação de inimizade com os Estados Unidos.

Sobre a possibilidade de vitória de Joe Biden, Bolsonaro voltou a criticar a proposta feita pelo democrata de formar uma coalizão internacional para transferir US$ 20 bilhões (cerca de R$ 115 bilhões) ao Brasil para a preservação da Amazônia.

“O candidato democrata, em duas oportunidades, falou sobre a Amazônia. É isso que vocês estão querendo para o Brasil? Aí sim uma interferência de fora pra dentro”, disse.

A proposta foi apresentada por Biden durante o 1º debate para a eleição norte-americana, realizado em 29 de setembro. O opositor de Trump disse que, caso eleito, poderia impor sanções ao Brasil se o problema na região não fosse sanado.

Trump se diz vencedor

Em 1 discurso veiculado ao vivo na madrugada desta 4ª feira (4.nov.2020) por meio do Twitter, o presidente dos Estados Unidos se declarou vencedor das eleições e disse que o processo, ainda em andamento, foi uma “fraude”. Segundo o republicano, ele apelará à Suprema Corte para paralisar a contagem de votos.

Trump argumentou que venceu em Estados como Texas, Ohio e Flórida. “Os resultados desta noite foram fenomenais”, falou. Disse que, “com quase nada [de apuração] faltando“, ele está na frente. Biden, por sua vez, disse que não cabia a Trump declarar o vencedor da eleição, mas, sim, aos eleitores. (MSN)