Waguinho Dias diz que resultado ruim contra o Vitória não seria ‘o fim do mundo’

Foto: Jefferson Alves / Brusque

Anunciado neste domingo pelo Brusque, o técnico Waguinho Dias considera o jogo contra o Vitória, na próxima sexta-feira (17), importante, mas um resultado ruim não seria “o fim do mundo”.

“Temos consciência que temos 15 partidas. Não podemos deixar de pontuar em casa, é um concorrente direto. É importante, mas não vai dizer sobre a sequência, mesmo com vitória”, afirmou, em sua primeira entrevista coletiva após o retorno ao clube catarinense.

Essa é a segunda passagem de Waguinho pelo Brusque. Em 2019, ele conduziu a campanha que levou o Quadricolor ao título da Série D e, consequentemente, ao acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. Sob a batuta do comandante, o Quadricolor venceu 9 de seus 17 jogos na competição.

“Quando eu fui contratado pela primeira vez, nós estávamos em uma situação que queríamos fazer uma boa campanha na Série D. Com as dificuldades financeiras, tínhamos que reduzir salários e trazer os que a gente poderia pagar. Era outro cenário. Hoje, mudou muito o patamar do clube. Agora, com minha chegada, quero deixar o vestiário alegre, colocar os atletas para jogarem nas posições que eles se sintam confortáveis”, destacou.

No currículo, o técnico tem uma passagem pelo futebol baiano, quando dirigiu o Galícia entre 2013 e 2014. Brusque e Vitória medem forças na próxima sexta (17), às 16h, no Augusto Bauer. O time catarinense não sabe o que é vencer há nove jogos, acumulando cinco derrotas e quatro empates na sequência. Enquanto o Leão teve a invencibilidade de seis partidas quebrada na derrota para o Remo, na última sexta (10), dentro de casa.

Para o jogo, Waguinho pode promover mudanças. “Quando se troca uma comissão, existe uma esperança e renovação. Os que não vem jogando, tem expectativa, e os que estão jogando, tem que manter. Quero que o vestiário seja prazeroso e alegre. O momento é de que precisa de resultado”, pontuou. (BN)