ACM Neto dispara contra Bocão: “Eu tenho espírito público e não de porco”

-
Foto: Divulgação

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), afirmou nesta quarta-feira (01/07), durante a inauguração do gripário de Paripe, que não vai aceitar a pressão de determinados setores para que as atividades comerciais sejam reabertas em meio à pandemia do coronavírus e de forma que coloque em risco a vida das pessoas. No dia anterior, o apresentador Zé “Bocão” Eduardo, da TV Record, disparou críticas ao gestor soteropolitano ao exigir que o setor privado volte ao normal.

“Eu me coloco no coloco no lugar e talvez muitos não se coloquem, daqueles que, nesse momento, estão internados, em um leito de UTI. Eu me coloco no lugar das famílias que perderam os seus entes queridos. Eu me coloco no lugar da pessoas mais pobres que estão, ao mesmo tempo, com medo do coronavírus e do outro lado, é claro, o medo fome, medo do desemprego. Eu me coloco no lugar dessas pessoas e lamento que nem todos o façam”, alfinetou Neto, que continuou.

“Eu quero dizer aqui em alto e bom som. Até o dia que eu for prefeito dessa cidade, as decisões serão tomadas pensando no cuidado com a vida das pessoas. Não tenho medo do jornalista A ou B ou C queira dar opinião, falando bobagem, aqui ou aculá. Não tenho medo. Nada disso fará que eu diminua minha luta para cuidar das pessoas. Se eu estou fazendo isso é porque eu tenho espírito público e não de porco. Tenho espírito público e não espírito de porco. Porque não olho pro próprio umbigo. Porque não estou preocupado com o que vai acontecer apenas em minha casa, mas na casa de cada um dos três milhões de pessoas que moram nessa cidade”, disparou.

O prefeito afirmou ainda que “até hoje não tomei nenhuma decisão irresponsável. Pelo contrário, tenho me cercado de profissionais responsáveis, de técnicos, de pessoas na área de saúde”.

“Ontem, nós tínhamos 84% de ocupação nos leitos de UTI. E aí? Abre tudo, colapsa o sistema de saúde e o culpado disso tudo vai ser quem? Quem vai ser o culpado? O prefeito. Os que agora estão nos criticando, os que agora estão questionando porque ainda não abrimos, vão dar uma de senhores da verdade pra apontar o dedo para mim, pra o governador para dizer que nós somos os culpados. Alguém tem dúvida disso? Pois, então, eu prefiro ser o culpado, agindo de acordo com a ciência, de acordo com a técnica e lutando para salvar a vida das pessoas, do que agindo irresponsavelmente para jogar pra platéia”, concluiu ACM Neto. (Informe Baiano)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui