Com baixa adesão, prazo para vacinação contra gripe e sarampo termina na sexta (3)

Foto: Fotos Públicas/GOVRS

As campanhas de vacinação contra a Influenza e o sarampo em Salvador serão encerradas nesta sexta-feira (3). Até o momento, foram aplicadas 237 mil doses da vacina contra a gripe e 63 mil contra o sarampo, apenas 26% e 37% do público alvo alcançado, respectivamente.

Desde o início da campanha, em abril, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) intensificou a oferta dos imunizantes em 156 salas de vacina, além de realizar mutirões aos finais de semana. No entanto, a cobertura vacinal está abaixo do ideal.

Ao todo, 673 mil indivíduos ainda faltam se imunizar contra a gripe e 288 mil contra o sarampo. O horário de funcionamento é de segunda à sexta-feira, das 08h às 17h, exceto feriados.

Para vacinar, é preciso levar a carteira de vacinação ou cartão SUS e documento com foto. Os profissionais da saúde devem levar a carteira do órgão onde atua.

“Quanto menor as taxas de coberturas vacinais, maior os riscos de circulação virais na cidade. Esse ano, já foram notificados casos de sarampo na Bahia e isso acende o sinal de alerta em Salvador. Também estamos percebendo um aumento de incidência de síndromes gripais, sobretudo em crianças, algo que já era esperado para esse período, mas que poderia ser minimizado caso obtivéssemos uma adesão maior à campanha contra gripe”, explicou a coordenadora de Imunização da SMS, Doiane Lemos.

Confira o público habilitado para vacinação:

Influenza – Crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores da saúde, idosos com 60 anos e mais, professores das escolas públicas e privadas, pessoas portadoras de doenças crônicas, pessoas com deficiência permanente, profissionais das forças de segurança e salvamento e das forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Sarampo – Crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) e trabalhadores da saúde. (Correio)