Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Prosa será lançado nesta terça (24)

Foto: Divulgação

A Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBA) lança nesta terça-feira (24) o VI Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Prosa. Esta sexta edição conta com a parceria da Secretaria da Educação do Estado (SEC) e visa estimular estudantes à escrita, leitura e comunicação. Além disto, o concurso tem o objetivo de sensibilizar os estudantes para o exercício da criatividade, reflexão e aprofundamento desta habilidade para o domínio da língua.

Por meio da parceria com a SEC, o VI Concurso pode ser curricularizado, sendo convalidado como Atividades Curriculares Complementares (ACC’s), dentro do Continuum Pedagógico 2020/2021, instituído na rede estadual de educação da Bahia, e passa a contar com o envolvimento direto das escolas e professores em sua realização. Através das unidades escolares, o projeto tem sua abrangência ampliada para todo Estado da Bahia, democratizado o acesso e gerando mais oportunidades para os jovens dos 27 territórios de identidade do Estado.

Voltado para os estudantes matriculados regularmente em escolas públicas e privadas, o concurso vai premiar os três primeiros lugares correspondentes a cada nível da educação (ensino fundamental I e II e do ensino médio) e em cada uma das categorias concorrentes (poesia e prosa), totalizando 18 candidatos contemplados.

O VI Concurso também visa alcançar e fomentar os estudantes da rede municipal e particular, estimulando o maior número possível de jovens interessados e envolvidos com a escrita e da leitura. Para o diretor geral da Fundação, Zulu Araújo, o VI Concurso é positivo no sentido de integrar estudantes, com diferentes perfis e vivencias, em torno do mesmo processo cultural e educacional, assim como, por alcançar milhares de estudantes em todo o Estado. “Escritores Escolares é mais um caso de sucesso entre a educação e a cultura na gestão do Estado da Bahia”, destacou Zulu Araújo.

O coordenador de Programas e Projetos Estratégicos da SEC, Marcius Gomes, falou sobre a importância do concurso. “Trata-se de mais uma ação do governo do estado da Bahia voltado para as juventudes do nosso Estado. A cultura tem relevância e efetividade no currículo baiano. É vocação da Bahia, por isso dialoga e tem importância com as atividades pedagógicas. Nossa escola é viva”.

Inscrição

As inscrições ocorrem de 24 de agosto até 26 de setembro, no site da Fundação Pedro Calmon ou Secretaria da Educação, sendo que os estudantes da rede pública estadual deverão buscas informações com a coordenação pedagógica ou na direção escolar. Cada estudante poderá se inscrever em apenas uma das categorias – poesia ou prosa – sendo temática livre e de escolha exclusiva do estudante e caso seja menor de 18 anos, a inscrição deve ser acompanhada da autorização dos responsáveis. Quaisquer dúvidas e esclarecimentos adicionais deverão ser enviados ao e-mail: [email protected] .

Seleção

Na rede pública, os melhores classificados em cada unidade serão avaliados por uma comissão formada pelos Núcleos Territoriais de Educação (NTEs). Dos NTEs saem os selecionados por uma comissão formada pela SEC e FPC. Os demais estudantes serão diretamente selecionados pela comissão organizada e coordenada pela Fundação e em ambos os casos serão avaliadas a criatividade, coerência, adequação e estruturação do texto, assim como, clareza e a inovação linguística.

Premiação

Ao todo, serão 18 premiados nas duas categorias de prosa e poesia. Em ambos casos, o primeiro lugar recebe um notebook mais kit com 30 livros; o segundo lugar um tablet mais kit com 30 livros e o terceiro lugar um leitor de e-book mais kit com 30 livros. Os livros que integram os ‘kits’ serão selecionados pela Fundação Pedro Calmon e a cerimônia de premiação o acontecerá em formato virtual.

Fonte: Ascom/