Enfermeira é a primeira pessoa a receber a vacina contra a Covid-19 na Bahia: ‘Me sinto honrada’

Enfermeira foi a primeira pessoa vacinada na Bahia — Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

Sob os olhos da imagem de Santa Dulce dos Pobres, a enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos se tornou a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 em solo baiano, nesta terça-feira (19). Ela trabalha no Hospital Couto Maia, na linha de frente no combate à pandemia.

A cerimônia simbólica que marcou o início da vacinação contra o coronavírus aconteceu no santuário das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), em Salvador. O ato foi acompanhado pelo governador Rui Costa, pelo prefeito da capital, Bruno Reis, e pelos secretários de Saúde do município e do estado.

“Momento muito importante. Me sinto honrada, gratidão a Deus e a todos os profissionais que contribuíram para este momento”.
Logo em seguida, foi a vez da idosa Lícia Pereira Santos, de 83 anos, receber a imunização.

“Acordei cedo hoje. Estou muito alegre, me sinto feliz. É uma alegria ter sido convidada para ser vacinada”, disse a idosa Lícia Pereira Santos, ao chegar ao local.

Depois a indígena Deisiane Tuxá e o médico do Samu, Enderson Barbosa, foram vacinados contra a Cpvid-19, em Salvador.

“É preciso que a comunidade acredite que vacina vem como algo importante. É algo positivo. Foi com muito prazer que eu recebi esse convite, de representar meu povo Tuxá. Além disso, como enfermeira também é muito gratificante participar disso tudo. É um avanço”, falou Deisiane.

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, celebrou o início da vacinação, mas destacou que ainda faltam doses para a imunização em massa.

“Nossos problemas não são de insumo, profissionais e logística. O problema que a gente tem é o mundial, do fornecimento da vacina. O nosso objetivo é garantir a imunização das pessoas, salvar milhares de vidas e restabelecer a parte econômica e social e com isso voltar a viver com normalidade”, falou.

Indígena Deisiane Tuxá, que também é enfermeira, foi imunizada na manhã desta terça, em Salvador — Foto: Itana Alencar/G1 Bahia
Indígena Deisiane Tuxá, que também é enfermeira, foi imunizada na manhã desta terça, em Salvador — Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

Em seguida, foi a vez do governador Rui Costa falar. Ele estacou a importância da união entre os seres humanos e se disse emocionado.

“Cada um de nós está emocionado pela dor, pelo sofrimento de longos meses. Apesar de hoje não significar o início da vacinação em massa, porque não temos vacina suficiente pra isso, mas não deixa de nos emocionar, porque a partir de hoje podemos enxergar uma luz no final do túnel”, falou.

“Gostaria de agradecer, sublinhar, destacar, até porque estamos na casa religiosa da Santa Dulce, a importância da parceria entre os homens. A importância da parceria da humanidade, da solidariedade entre os homens, entre os países, entre as nações. Muitas vezes, somos estimulados a pregar o ódio, a intolerância, o rancor, a ter discriminação racial, de nação, de povo. Nesse momento de sofrimento da humanidade, a gente vê o quanto é importante a solidariedade humana. E eu queria agradecer ao estado de São Paulo, ao Instituto Butantã, que priorizou a vida humana e foi buscar uma parceria com os chineses, que desenvolveram essa vacina”, completou o governador. (G1)