Gerente da Coelba fala sobre apoio as famílias atingidas pelas fortes chuvas na Bahia

Em entrevista a equipe de reportagem o gerente de operações de sistema elétrico regional da Coelba Geraldo Fernandes tira dúvidas em relação a crise sofrida nas regiões atingidas pela chuva, tais como Vale do Jiquiriçá. Ele explica como foram as primeiras ações para intervir nos acidentes com curto circuitos e choques elétricos, “como medida de segurança a Coelba atua preventivamente nas situações onde as inundações chegaram bem perto da nossa redes e fizemos o desligamento por segurança, evitando choques elétricos, e maiores circunstancias de dano à população”, disse.

Geraldo sinaliza que o poder público e Corpo de Bombeiros fizeram uma interação muito boa nas situações de perigo, “eles nos ajudaram permitindo atuar de forma antecipada no local”, relata.

Em relação a prudência com a população para situações de precaução como essa das fortes chuvas o gerente menciona, “a Coelba está em constantemente atualização, evoluindo seu plano de crise e elaborando um plano para a situações adversas com mudanças climáticas”, diz.

Ele ainda segue explicando como fica a questão das cobranças de energia dos comércios e casas que foram destruídos pelas chuvas. ” A empresa em situações como está faz uma avaliação e é revisado o processo de faturamento e emissão de notas para esses locais afetados”, expõe.

Devido aos deslizamentos de terras que deixaram postes com eminencia de queda, Geraldo alerta, “a Coelba sempre vai orientar o afastamento da condição de risco, e a sinalização para que possamos atuar é muito importante, essa contribuição da população é feita nos nossos canais de atendimento 116”.

O Gerente regional ainda menciona o gesto social que reforça o compromisso da empresa com a população baiana, auxiliando no processo de retomar suas vidas, começando com a distribuição de 2 mil geladeiras e 5 mil lâmpadas as famílias atingidas, além de internamente os colaboradores arrecadarem junto ao grupo Neoenergia toneladas de alimentos para as famílias atingidas.

Andressa Viana