Governo da Bahia não confirma criação de Brigada Emergencial de Saúde

-
Rui Costa, governador da Bahia, em pronunciamento desta quarta-feira (27) — Foto: Divulgação/Secom

Recomendada pelo Comitê do Nordeste, a Brigada Emergencial de Saúde ainda não tem previsão de ser criada na Bahia. Há duas semanas, o Bahia Notícias apurou com uma fonte do governo do estado que o decreto logo deveria ser publicado, pois o texto já estava pronto. No entanto, até esta quinta-feira (28) a publicação não saiu no Diário Oficial.

O portal buscou um esclarecimento com a Secretaria de Comunicação do Governo do Estado ao longo da semana, mas não obteve resposta.

As brigadas, já implantadas no Maranhão e em Piauí, foram sugeridas em um boletim do Comitê Científico do Consórcio do Nordeste, que visa orientar a atuação dos gestores na pandemia. O documento afirma que “é preciso criar com urgência uma Brigada Emergencial de Saúde no Nordeste ampliando o contingente de médicos e demais profissionais de saúde no atendimento à população” e “recomenda aos governadores a criação de programa de adaptação formativa, com complementação curricular, na modalidade ensino-serviço, que assegure um processo rígido de avaliação ao longo do tempo a ser realizado pelas Universidades Públicas na região, e permita, ao final, a validação dos diplomas daqueles que vierem a ser aprovados”.

Em entrevista ao BN semanas atrás, o pesquisador Miguel Nicolelis, coordenador do comitê, disse que as brigadas deverão considerar as especificidades e as necessidades de cada estado (saiba mais aqui). No caso da Bahia, a Secretaria de Saúde (Sesab) publicou um edital para a contratação de 400 médicos e, posteriormente, anunciou o preenchimento de 300 vagas. No entanto, não foram mencionadas ações relativas às universidades.

Questionado sobre o assunto no Twitter, no fim de semana, Nicolelis disse que não faz ideia do que resolveram. “Estou esperando como você o decreto. Nós não operamos, só fazemos sugestões e recomendações”, ressaltou, acrescentando que três universidades baianas aprovaram a ideia de fazer um programa de revalidação de diplomas. É o caso das Universidade Estadual da Bahia (Uneb), a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

De acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado, a Bahia tem, até quarta-feira (27), 15.070 casos de coronavírus e 531 óbitos em decorrência da doença. A ocupação dos leitos chegou a 55% no geral e 68% no caso das UTIs. (Bahia Notícias)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui