Homem com leucemia aguda em Vitória da Conquista aguarda regulação para fazer tratamento: ‘O que ele mais deseja é ver o filho’, diz esposa

Homem com leucemia aguda no sudoeste da Bahia aguarda regulação para fazer tratamento — Foto: Reprodução/TV Sudoeste

Um homem de 34 anos, internado no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), aguarda regulação para Salvador, há 20 dias, para fazer tratamento de leucemia aguda.

Há cerca de sete meses Silvano Rosa Santos passou mal em um final de semana e foi internado no Hospital Regional de Eunápolis com febre e muitas dores. Ele foi diagnosticado com diabetes, hipertensão e leucemia aguda.

“Inclusive eu estava até trabalhando lá em Eunápolis só que tive que largar o emprego para poder acompanhar ele no Regional, aí entre idas e vindas, seis meses. Ele também trabalhava direitinho só que teve que largar o trabalho também por conta dessa doença que apareceu”, disse a esposa de Silvano, Daiana Santos.

A leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos, que na maioria das vezes, tem origem desconhecida. Os principais sintomas são a anemia, infecções e hemorragia.

A doença avança de forma muito rápida e o tratamento precisa ser iniciado o quanto antes para que haja uma chance de cura.

No dia 14 de janeiro foi solicitada a transferência de Silvano Santos para Salvador, para que o tratamento fosse feito. A decisão saiu no dia 31, mas a vaga foi para Vitória da Conquista.

Ao chegar no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), a família foi informada que a unidade não realiza o tratamento para leucemia aguda. O unidade, por meio de nota, disse que o paciente foi transferido para realizar um mielograma, o exame que faz o diagnóstico da leucemia e não para a realização do tratamento.

Os familiares contam que o quadro de Silvano piora a cada dia. Ele está se sentindo cada vez mais fraco e as dores só aumentam.

“São dois hospitais em Salvador: O Hospital Santa Isabel e o outro é o Hospital Universitário Edgar Santos. Ele precisa se transferir urgente. São sete meses nessa luta, nós moramos em Eunápolis, a esposa dele está lá com ele, eles têm filho pequeno, é um transtorno para nós”, desabafou a irmã de Silvano, Sirleide Santos.

A família faz um apelo para que a vaga saia o quanto antes e Silvano possa retornar para casa e reencontrar o filho, Silviel, de 4 anos.

“É uma doença muito grave, ele precisa de uma transferência urgente para que ele possa se tratar, se cuidar, viver mais um pouco. O que ele mais deseja é ver o filho dele”, contou Daiana Santos. (G1)