Justiça do Rio determina que mãe de Henry Borel volte à prisão

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou que Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, volte à prisão.

Ela foi transferida ao regime domiciliar em abril por decisão da juíza Elizabeth Machado Louro. Desembargadores do TJ-RJ, no entanto, entenderam que a gravidade do crime julgado não permitia a flexibilização.

O desembargador Joaquim Domingos de Almeida Neto, da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio acatou a um recurso do Ministério Público do estado contra a soltura de Monique.

Ela será encaminhada ao Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar do Rio de Janeiro. O pai de Henry, Leniel Borel, disse ao G1 que a volta de Monique para a prisão dá o sentimento de justiça sendo feita.

“Respeitamos a decisão [anterior, que concedeu a prisão domiciliar], mas não concordamos. Graças a Deus temos o Ministério Público, o promotor Fábio Vieira. A decisão foi por unanimidade e não tinha nada de novo”.

Monique é acusada de homicídio triplamente qualificado na morte de seu filho, em março de 2021. Ela chegou a ser presa, mas alegou ter sido ameaçada e conseguiu a prisão domiciliar. (Aarde)