Mais de 3,9 milhões de baianos cuidam de parentes; número é o maior do país

Foto: Fotos Públicas
Foto: Fotos Públicas

Entre 2017 e 2018, a Bahia teve o maior aumento absoluto do país no número de pessoas que afirmavam cuidar de parentes que moravam no mesmo domicílio ou em outra residência . Esse grupo passou de 3,7 milhões para 3,9 milhões pessoas de 14 anos ou mais de idade, de um ano para o outro, o que representou mais 187 mil no estado (+5,0%). O cuidado com pessoas foi o tipo de trabalho não remunerado cuja taxa de realização mais avançou na Bahia, nesse período. Em 2018, 33,0% dos baianos de 14 anos ou mais de idade cuidavam de parentes; um ano antes, essa proporção era de 31,4%. A taxa de cuidados baianos  estava acima da média nacional (31,8%), embora fosse apenas a 10ª mais elevado entre os estados. Estados da região Norte tinham as maiores taxas de realização de cuidados com pessoas: Amapá (47,3%), Roraima (44,9%) e Amazonas (39,6%). Por outro lado, Alagoas (29,6%), Pernambuco (29,4%) e Rio de Janeiro (27,5%) apresentavam as menores taxas. (Bahia.Ba)