Médico é investigado por homicídio depois de não realizar protocolo de reanimação em idosa

0
233
-
Foto: Ilustrativa/Reprodução/Getty Images

Um médico não aplicou o protocolo de reanimação em uma idosa de 85 anos enquanto ela sofria uma parada cardiorrespiratória por “não compensar investir” recursos na saúde dela. O caso aconteceu na Santa Casa de São Joaquim da Barra, no interior de São Paulo. A Polícia Civil investiga o caso que aconteceu no dia 22 de agosto.

O médico Luiz Octávio Villena negou má conduta, afirmou que é vítima de uma acusação falsa e que pretende processar os denunciantes, de acordo com reportagem do Estadão.

A matéria indica que a idosa foi levada a emergência por familiares com sintomas de desidratação e falta de ar. Após receber atendimento, a mulhes e 85 anos foi encaminhada para a Santa Casa de São Joaquim da Barra.

Quando chegou ao hospital, a idosa sofreu a parada cardiorrespiratória, foi então que o médico Luiz Octávio não teria adotado o protocolo de reanimação, alegando que ela estava morrendo, e aind ateria afirmado que ela “tem 85 anos, não compensa investir” e que “quando a gente quer que a paciente morra, ela não morre”.

O delegado responsável pelo inquérito, Gustavo de Almeida Costa, informou à reportagem do Estadão que a apuração será de tentativa de homicídio. “Temos a versão do médico plantonista que conduzia a paciente e da enfermeira que ficou com eles na emergência. Também colhemos depoimentos da técnica de enfermagem que estava na ambulância e da neta da mulher. São quatro pessoas que corroboram a versão de que o médico Luiz Octávio teria desejado a morte da paciente. O dever do médico é impedir a morte, se a favorece, é tentativa de homicídio”, disse. (BN)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui