Moradores de Vitória da Conquista fazem campanha para ajudar em tratamento de criança portadora de doença do Crohn

Moradores do sudoeste fazem campanha para ajudar em tratamento de criança portadora de doença do Crohn — Foto: Reprodução / TV Sudoeste

Moradores de Vitória da Conquista, cidade do sudoeste da Bahia, fizeram uma campanha na internet para ajudar David Lucas, de 8 anos, portador da doença de Crohn. Para cuidar dele, a mãe, Márcia Maria Rocha, precisou deixar o emprego.

David Lucas enfrenta um distúrbio genético que úlceras no intestino e compromete o funcionamento do sistema imunológico e deixa a criança mais suscetível a diversas doenças.

A família do garoto morava no Ceará, mas mora em Vitória da Conquista desde 2017. Márcia Maria viajou para a Bahia para visitar o irmão e durante a viagem a passeio, David Lucas começou a apresentar alguns sintomas da doença.

“Iniciou com febre e vômito. Daí internaram e começou o tratamento dele, investigação de várias enfermidades que eles [médicos] estavam achando”, disse Márcia Maria.

Depois de muitos exames, o menino foi diagnosticado com a doença de Crohn. Com o diagnóstico, mesmo após a morte do irmão que morava em Vitória da Conquista, Márcia Rocha decidiu ficar na Bahia por causa do tratamento do filho.

“Eu preferi ficar aqui por causa do tratamento dele, porque na minha cidade era mais complicado. Como aqui ainda não tinha fechado nada, ficou tudo para Conquista”, contou.

Algumas consultas são realizadas em Vitória da Conquista, mas, todos os meses Márcia Rocha e David Lucas vão a Salvador por causa do tratamento.

Ano passado, o garoto perdeu o movimento das pernas e então os médicos começaram a investigar o quadro de saúde dele. Foi então que esse laudo médico atestou que o pequeno David tem imunodeficiência primária.

David e a mãe moram em uma casa alugada com quarto, sala, cozinha e banheiro. Além de pagar o aluguel, Márcia Rocha precisa pagar as contas de água, energia elétrica, gás e a alimentação do garoto, que é bem especifica por causa da doença.

O menino recebe o benefício de prestação continuada, o BPC, no valor de um salário mínimo, mas não tem sido suficiente para arcar com todas as despesas.

“Não consigo trabalhar, não consigo levar ele na escola. É só eu e ele e algumas pessoas que aparecem para nos ajudar, porque com família eu não consigo contar, porque moram todos longe e não tem ninguém para estar aqui comigo”, disse a mãe do garoto.

“Desde 2017 é uma batalha travada que eu enfrento com ele”.

Algumas entidades estão apoiando a causa e ajudando na campanha feita pelos amigos de David Lucas. Como a principal dificuldade tem sido manter todos os gastos mensais, o sonho da família agora é morar em uma casa sem precisar pagar aluguel. (G1)