Pacientes têm corpos trocados em hospital de Salvador e quase são enterrados por famílias erradas; uma das vítimas era de Elísio Medrado

Foto: Mateus Pereira/GOVBA

Duas pessoas que morreram com Covid-19 em Salvador tiveram os corpos trocados no Hospital do Subúrbio na última sexta-feira (2) e quase foram enterradas pela família do outro.

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), a irmã de um dos pacientes autorizou o primo a realizar o reconhecimento do corpo. O homem teria feito o procedimento por volta das 14h45, autorizando os agentes da funerária a retirar o corpo do local e levar para o município de Ubaíra, que fica a cerca de 270 km da capital baiana.

Entretanto, segundo a Sesab, por volta de 19h30, familiares de outra pessoa que morreu, chegaram ao hospital para fazer o reconhecimento do corpo e afirmaram que não se tratava da pessoa correta.

O órgão de saúde informou que a equipe do Hospital do Subúrbio entrou em contato com a irmã do primeiro pacientes identificado e informou que o corpo levado à cidade de Ubaíra era, na verdade, de outra pessoa, o que permitiu a troca dos corpos antes que eles fossem enterrados.

A Sesab relatou que como a funerária contratada pelos familiares dos pacientes era a mesma, o serviço funerário encaminhou diretamente o corpo da paciente que estava em Ubaíra para a cidade de origem, onde foi realizado o sepultamento.

O corpo do paciente que havia permanecido no hospital, foi então levado corretamente para a cidade de Ubaíra.

Em nota, a Sesab explicou que para ser feita a liberação do corpo de qualquer paciente, é preciso que seja realizada uma dupla checagem: do familiar responsável pelo paciente, realizando a sua identificação, e da equipe de segurança do Hospital do Subúrbio.

Também disse que o Hospital do Subúrbio lamentou profundamente o ocorrido e informou que agiu de imediato, quando constatado o erro de reconhecimento do corpo, para evitar maiores prejuízos e sofrimento às famílias envolvidas.

Ainda informou que o procedimento para liberação dos corpos de pacientes está sendo reforçado como garantia de que situações semelhantes não se repitam.