Prefeituras baianas diminuíram em 33,8% inclusão digital para usuários, diz pesquisa

-
Foto: Reprodução / Unilab

Houve queda em programas ou planos de inclusão digital na Bahia em 2019. A baixa foi de 33,8% em relação a 2014. Os dados são da Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic) 2019 e foram divulgados nesta quarta-feira (2). Segundo a pesquisa, 264 municípios baianos declararam ter programa ou plano de inclusão digital no ano passado, percentual de 63,3% das cidades do estado.

Em 2014, 399 municípios disseram ter programa ou plano semelhante. Mesmo com a queda, a Bahia ainda era o estado do Nordeste com a maior porcentagem de municípios com programa de inclusão digital. O estado tinha ainda a 5ª maior proporção do Brasil que, por sua vez, tinha 55,2% dos municípios (3.076 de 5.570) com algum programa/plano na área. Ainda segundo a Munic 2019, nos 131 dos 264 municípios baianos com programa de inclusão digital, as ações foram realizadas em parceria com o governo federal, e em 86, com o governo estadual.

Em 89 municípios, as ações de inclusão digital foram feitas de forma exclusiva pela prefeitura. A ação mais comum foi a instalação de computadores na rede pública municipal de ensino, com acesso à Internet, para uso de alunos e professores, fato ocorrido em 221 municípios baianos. Em 182 cidades do estado, houve instalação de Wi-Fi nas escolas públicas municipais, e em 165 a prefeitura ofereceu à população acesso público e gratuito à Internet, em Centros de Acesso.

AUMENTO DE WI-FI

A pesquisa também mostrou que houve aumento do número de prefeituras que passaram a oferecer acesso gratuito à internet por Wi-Fi em pelo menos uma parte do território do município. A Bahia ficou na 12ª posição no quesito. Em 2019, 173 das 417 cidades baianas (41,5%) disseram ter o serviço, avanço de 73% em cinco anos. Em 2014, 100 prefeituras haviam dito que forneciam esse tipo de conexão à população.

Em termos de país, 40,5% das prefeituras disseram oferecer conexão de internet em alguma parte do município. Os maiores índices foram do Rio Grande do Norte (50,3%) e Ceará (50,0%). Por outro lado, Rondônia (17,3%) e Sergipe (24,0%) apresentaram os menores resultados. (Bahia Notícias)