“Quem comprou pela internet eletrodomésticos furtados em loja de SAJ irá responder”, diz delegado

Foto: Polícia Civil

Um homem de 32 anos, suspeito de desviar produtos do estabelecimento em que trabalhava para vendas na internet, foi preso na segunda-feira (7), por investigadores da 1ª Delegacia Territorial (DT) de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano. A informação é da Polícia Civil.

Além dele foi capturado outro homem, de 34 anos, suspeito de envolvimento com os furtos. Segundo as investigações, já tinham sido desviados da loja máquinas de lavar, fogões, batedeiras e liquidificadores, além de outros eletrodomésticos.

Ainda conforme apontam as investigações, o funcionário do estabelecimento usava da confiança que possuía no local e há mais de dois meses desviava eletrodomésticos da loja. Em seguida, ele repassava para o parceiro, que os revendia pela internet.

A operação de repasse acontecia, de acordo com a polícia, na hora do almoço, quando o comparsa ia diretamente à loja fazer o carregamento ilegal — também com ajuda direta do empregado. Apenas em fogões e máquinas de lavar, foram 18 produtos retirados desta maneira.

Os objetos recuperados já foram devolvidos ao estabelecimento. De acordo com a polícia, os dois homens estão à disposição do Poder Judiciário.

Segundo o delegado Adilson Barbosa em contato com o Voz da Bahia, que os acusados já vinha desviando as mercadorias há mais de dois meses. ” Os eletrodomésticos eram passados para o parceiro. Um fogão ou máquina de lavar eram vendidos pelo valor de  R$ 100,00 cada uma. No total foram em média 9 fogões e 9 lavadoras ‘vendidas’. Tudo ocorria em plena luz do dia. Estamos investigando as compras feitas via internet”, disse o delegado .

Bezerra informou ainda que alguns aparelhos foram encontrados na casa da mãe de um dos homens que estavam cometendo o ato, e que o transporte das mercadorias eram feitas em um veículo modelo Fiat Strada de cor vermelho.

O delegado alertou que quem realizou as compras desses produtos via online, vão responder pelo fato das mercadorias serem vendidos sem a nota fiscal e por um valor diferente do mercado.

Todo material apreendido foram devolvidos para o dono do comércio.