Quem quer mais auxílio emergencial pode ir ao banco ‘fazer empréstimo’, diz Bolsonaro

Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que as pessoas que solicitam a ampliação do auxílio emergencial devem fazer um empréstimo bancário. A declaração foi dada durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, nesta terça-feira (1º). As informações são da Folha de S. Paulo.

Na fala a simpatizantes, o presidente disse que nenhum país criou um auxílio igual o Brasil e afirmou que o programa utilizou mais recursos que o Bolsa Família em 10 anos.

“E tem gente criticando ainda, falando que quer mais. Como é endividamento por parte do governo, quem quer mais é só ir no banco e fazer empréstimo”, declarou.

Em 2021, o auxílio emergencial beneficiou cerca de 40 milhões de pessoas. O programa retornou em abril após três meses suspenso e será encerrado em julho deste ano. O valor das parcelas varia de R$ 150 a R$ 375 por mês.

CRÍTICAS A MEDIDAS RESTRITIVAS
Bolsonaro também voltou a criticar as medidas restritivas para evitar a contaminação da Covid-19 adotadas pelos governadores e prefeitos.

“Sabemos da situação difícil que se encontra a população, que perdeu o emprego. Não foi por culpa do presidente. Eu não mandei ninguém ficar em casa, não obriguei, não fechei comércio e por consequência não destruí emprego. Quem fez isso aí foi de forma irresponsável”, disse.

Na última semana, o presidente ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando medidas restritivas como o lockdown e o toque de recolher. A ação pede a suspensão de decretos de isolamento nos estados de Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Norte. (Diário do Nordeste)