SAJ: Chico de Dega garante que há sobra de recursos do São João e pede para que prefeito as utilize na prevenção do Covid-19

-
Imagem: Reprodução / Voz da Bahia

O vereador Francisco Damasceno, o Chico de Dega (DEM) esteve no programa Meio-Dia e Meia do Voz da Bahia nesta quinta-feira (30) e na primeira parte de sua entrevista afirmou que “os boletins epidemiológicos realizados no município são mentirosos” (reveja aqui). Nesta 2ª parte de sua fala, Chico apontou os assuntos relacionados à política e cobrou que a sobra dos recursos do São João a prefeitura viesse aportar para o combate a pandemia do coronavírus no município.

A UPA EM SANTO ANTÔNIO DE JESUS:

De acordo com Dega, a inauguração e funcionamento da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do município é algo que vem sendo tratado desde 2012, porém é difícil de se resolver quando está dentro da situação, “a UPA foi dada como inaugurada em março de 2012 na gestão do ex-prefeito Euvaldo de Almeida Rosa, quando o Humberto Leite entrou houve um processo administrativo para tentar resolver tudo, isso foi para o Ministério da Saúde em Brasília, depois foi publicado duas ou três licitações que deram como certas, então quem está de fora acha que é fácil, quem esta dentro vê a dificuldade. O atual prefeito dizia em seu programa de governo que em 15 dias iria inaugurar a UPA e nós já estamos em 3 anos e 5 meses praticamente e nada foi feito, então olha a dificuldade! Eu não tô aqui colocando apenas criticas mas acredito no seguinte: ninguém é obrigado a prometer, mas você prometeu é obrigado a cumprir”, expôs.

SOBRA DO DINHEIRO DO SÃO JOÃO:

Tratando-se do São João, Chico afirma que o cancelamento do evento foi a melhor coisa e cobra os valores que seriam investidos na festa junina para serem usados no combate a pandemia, “o São João de Santo Antônio de Jesus é uma festa que atrai pessoas de até outros lugares do país. Imagine o São João com 30 ou 60 mil pessoas e algumas delas estarem infectadas, o que seria do município? Santo Antônio e região não iria suportar, iríamos ver mortos. Contudo, como o prefeito já tinha contratado, já tinha anunciado, inclusive no cancelamento ele divulgou diversas bandas de valores enormes entre R$ 400 mil reais a R$ 500 mil reais, então prova que o prefeito tem dinheiro. O gestor não iria divulgar às bandas já reservadas e contratadas para o São João e não ter recursos. Então, se o São João gasta em média R$ 5 a R$ 6 milhões de reais, o prefeito tem de fazer ações muito boas para o povo de Santo Antônio de Jesus e compensar a falta do evento. Essa festa que acontece todos os anos e os prefeitos agora estão impedidos de fazer, tem sobra de recursos, estes que seriam aplicados no São João, nós esperamos que seja revestidos para atender a população, principalmente os músicos que estão sem rendas, os mototaxistas, os motoristas de Vans e demais trabalhadores informais que tem sua barraca, que vende e ganha no dia-a-dia, então acho que tem que buscar uma alternativa para atender essa população já que a prefeitura tem em cofre o dinheiro do São João”, afirma.

ASSISTA A MATÉRIA COMPLETA ABAIXO:

Reportagem: Voz da Bahia