SAJ: Secretário de saúde diz que é urgente o retorno às aulas e que vai fiscalizar bares, restaurantes e igrejas

Secretário de Saúde de Santo Antônio de Jesus, Dr. Leonel Cafezeiro / Foto: Voz da Bahia

O secretário de saúde de Santo Antônio de Jesus, Dr. Leonel Cafezeiro, discutiu nesta quinta-feira (6) sobre os impactos da Covid-19 na cidade, onde inicialmente falou sobre as questões de educação e a possibilidade do retorno das aulas presenciais.

Durante sua entrevista na Andaiá FM, Leonel afirmou que: “a educação é tão importante quanto a economia e todos os profissionais de educação serão vacinados. É urgente o retorno às aulas e não podemos mais aguentar esse prejuízo”, disse.

O secretário foi perguntado sobre a realização dos testes da Covid-19 em Santo Antônio de Jesus, tendo em vista que laboratórios particulares da cidade realizam exames para a região inteira, se há possibilidade de erro nos resultados, “isso é diferenciado, quando a pessoa faz o teste tem que dizer de onde é, o endereço. Normalmente cada município está fazendo a coleta de seus testes. Em laboratórios particulares, foge um pouco nosso controle, mas estamos tendo este cuidado. Pode ter acontecido, mas não temos este conhecimento, pode ter fugido algum. O pessoal que faz o boletim, registra nos programas do Ministério da Saúde, e quando são lançados vai o nome, endereço e tudo”, falou.

Leonel aproveitou para pedir a população que cuidem da sua saúde e evitem principalmente estar em bares, eventos e aglomerações. Além disto, o secretário falou também sobre o afrouxamento das medidas contra a Covid-19 em cultos religiosos, “passamos nas ruas e vemos muita gente sem máscara e aglomerando. As pessoas não tomam consciência de que deve zelar somente pela sua saúde, mas também de todos. Aplicamos multas em bares e restaurantes, teve lugar que teve resistência e desacato, onde a polícia teve que dar tiro para cima para alertar e intimidar as pessoas. Em relação às igrejas, talvez tenhamos facilitado mais, mas já que está vendo essas queixas, vamos voltar a fiscalizá-las”, concluiu.

Redação: Voz da Bahia