Salvador: Ameaça de ataque a escola leva pânico a alunos e professores

0
322
-
Foto divulgação

A ameaça em um perfil é clara: “Terá um belo massacre”. O pânico também: “Estamos apavorados”, disse a mãe de um aluno. As postagens de uma conta no Instagram, inclusive a imagem de uma mão segurando uma pistola, vem aterrorizando alunos, professores e outros funcionários da Escola Municipal Santa Rita, no bairro de Luís Anselmo, em Salvador. O autor fez três postagens e em uma delas diz que chegará de surpresa. 

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) informou ao Correio, por meio de nota, que “tomou as medidas necessárias, buscando junto aos órgãos competentes orientações e intervenções em prol da manutenção da ordem no entorno da Escola. Além disso, serão empreendidos esforços no sentido de apoiar e garantir o pleno funcionamento da unidade escolar”. Disse ainda que guardas municipais já foram enviados para a instituição de ensino.

Colégios brasileiros foram cenário de ao menos sete atentados com armas de fogo cometidos por alunos e ex-alunos nos últimos anos.  (Veja abaixo)

Segundo pais de alunos, as ameaças começaram nesta segunda-feira (12). “Meu filho chegou em casa dizendo que não vai mais à escola, que todos irão morrer. Ele me mostrou a mensagem e fiquei também apavorada. As mensagens de alguma forma chegaram no grupo de WhatsApp deles”, disse a mãe de um dos alunos ao Correio, que preferiu não revelar o nome. 

As ameaças também chegaram no grupo do app dos professores e funcionários da direção da escola. “Meu filho disse que foi desta forma que a diretora ficou sabendo, que ela na mesma hora comunicou o fato à Polícia Militar. Mas até agora não temos uma definição se amanhã haverá aula”, disse a mãe.

Segundo ela, o autor da ameaça, até então, não é uma pessoa conhecida entre os alunos e professores. “Ninguém sabe quem é e nem o motivo. O que se sabe é que, na semana passada, houve uma briga entre duas alunas, mas foi algo resolvido lá mesmo”, contou a mãe.  

Nesta terça-feira (13), não houve aula por conta de uma paralisação nacional em favor da educação pública. “Mas ninguém quer ir lá amanhã (14), com medo de morrer. Inclusive amanhã está marcada a inauguração de uma quadra de esporte e está prevista a presença de pessoas ligadas à Secretaria da Educação. Mas com uma situação dessa? Pais, alunos, professores e funcionários estão com medo. Quem vai?”, disse a mulher. 

Perfil
Na manhã desta terça-feira, o Correio entrou no perfil do autor das ameaças. Das quatro postagens que circulam nas redes sociais, apenas uma delas ainda permanece no feed (página em que os usuários têm acesso às atualizações e postagens).

Na publicação, de fundo amarelo, o autor, que estaria usando um perfil falso, cumprimenta os alunos e fala de ameaças anteriores: “como vocês sabem, venho ameaçando vários alunos (as) por causa da amiguinha querida de vocês. E isso vem causando uma imensa proporção de notícias falsas, que é o tipo de coisa que eu não gosto. Então, eu mesmo resolvi me pronunciar. […] sabe a bela pistola que tenho em mãos, caso duvidem, é só pedir para ele mostrar as conversas. Continuando … Vou ser logo direto”, diz a mensagem.

Logo abaixo, o autor diz o dia (14) e local do ataque (a escola) e dá detalhes de como possivelmente agirá: “Chegarei de surpresa”. Nos comentários, ele emenda o recado: “Terá um belo de um massacre, caso não queira conhecer seus entes falecidos, é só não ir. Adeus”.

Outras imagens
Apesar de o autor ter apagado as outras publicações, capturas de telas feitas pelos alunos chegaram ao CORREIO. Uma delas é a imagem de uma mão segurando uma pistola prata. Acima da foto tem o nome da escola. Numa outra publicação, o autor marca um perfil em agradecimento pelo texto, dando a entender que as mensagens foram elaboradas em conjunto.

Reforço
Em nota, a Polícia Militar informou que “Operação Ronda Escolar da Polícia Militar foi acionada pela direção da Escola Municipal Santa Rita, localizada no bairro Vila Laura, com informação de supostas ameaças à unidade escolar e alguns alunos, na tarde de segunda-feira (12)”.

A Corporação informa ainda que uma equipe foi imediatamente para o local, “onde conversou com a direção e levantou informações”.

“Ainda não é de conhecimento a autoria das ameaças, mas assim como o comandante da Ronda, o comando da 58ª CIPM (Cosme de Farias), unidade responsável pela área, estão cientes da situação e já intensificaram as ações de prevenção. O reforço será mantido até quando houver necessidade”, diz nota. 

O CORREIO procurou a Polícia Civil. Através da assessoria de comunicação, a PC disse, também por meio de nota, que “a 6ª Delegacia (Brotas) já tomou conhecimento do caso e iniciou a apuração. A diretora da instituição de ensino está sendo ouvida na unidade. A autenticidade dos perfis e identificação do autor (es) ocorrerá no decorrer da investigação, que está em fase preliminar”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui