Salvador vai doar respiradores ao interior para diminuir ocupação de leitos na capital

-
Prefeito ACM Neto em entrevista coletiva nesta terça-feira (4). — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O prefeito de Salvador, ACM Neto, anunciou nesta segunda-feira (10) que vai doar, ao governo do Estado, 20 dos novos 55 respiradores recebidos pela prefeitura. O objetivo da medida é possibilitar a ampliação da rede hospitalar para tratamento do novo coronavírus no interior, diminuindo a ocupação de leitos na capital baiana.

“A expansão no interior interessa para a capital. Quantos mais leitos no interior, menos pacientes na capital. Isso ajuda a controlar a situação da nossa rede hospitalar, sobretudo a baixar a nossa ocupação de leitos de UTI”, afirmou o prefeito, destacando também que a taxa de ocupação de UTIs Covid-19 fechou o domingo (9) em 55% na cidade, um dos menores percentuais desde o início da pandemia.

Manter a ocupação em níveis menores também é importante para a abertura da fase 3 de retomada da economia, que engloba parques de diversão e temáticos; teatros, cinemas e demais casas de espetáculos; clubes sociais, recreativos e esportivos; centros de eventos e convenções. Para o início desta etapa, é necessário que a taxa se mantenha em 60% ou menos por 5 dias, consecutivos ou não.

Dos 35 respiradores que ficarão em Salvador, 20 serão destinados para a segunda tenda do Hospital de Campanha do Wet’n Wild, onde 20 dos 80 leitos clínicos serão convertidos em UTIs. “Como temos folga maior ainda nos leitos clínicos, podemos fazer isso com conforto, com tranquilidade, sabendo que não há risco de saturação”, destacou Neto.

A prefeitura pretende usar 10 respiradores no Hospital Salvador, caso consiga resolver o imbróglio judicial com a Universidade Federal da Bahia, que conseguiu liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) para proibir a gestão de instalar leitos Covid-19 na unidade, que também abriga a Maternidade Climério Oliveira (MCO). Os cinco respiradores restantes ficarão como reserva técnica, para substituir equipamentos que apresentem problemas técnicos.

Os 55 respiradores foram doados pela iniciativa privada. Cinco deles foram cedidos pela Suzano, enquanto os outros 50, pela HapVida. (BN)